Santos

Primeira parcela do auxílio municipal em Santos beneficiará 4,9 mil famílias

Cada núcleo familiar receberá entre R$ 120 e R$ 240

16 de abril de 2021 - 09:39

Da Redação

Compartilhe

Será disponibilizada até o fim deste mês a primeira parcela do Auxílio Emergencial Municipal, que será concedido, por seis meses, a 4,9 mil famílias santistas, incluindo mais de 10 mil crianças e adolescentes, em situação considerada de extrema pobreza – renda per capita de até R$ 89. Com objetivo de amenizar o impacto socioeconômico gerado pela pandemia de covid-19, o programa é custeado pelo Município e tem investimento estimado em R$ 5 milhões.

Por mês, cada núcleo familiar receberá entre R$ 120 e R$ 240, de acordo com a quantidade de filhos. Dessa forma, os beneficiários foram listados pela Prefeitura com base no Cadastro Único, do governo federal, e os nomes dos responsáveis em cada lar contemplado serão divulgados no Portal da Transparência de Santos.

Assim, o programa integra o conjunto de ações intitulado Incentiva Santos, que consiste em transferência de renda a pessoas em situação de vulnerabilidade, além de distribuição de cestas básicas, isenção de tributos, perdão de dívidas com o Município e cursos de capacitação profissional com bolsa de até R$ 300.

Diante das dificuldades econômicas enfrentadas por parte da população, o prefeito Rogério Santos reafirmou a importância do papel social desempenhado Prefeitura durante a pandemia. “O Município é o ente federativo que menos arrecada, mas, aqui em Santos, temos trabalhado e planejado, criando alternativas para atenuar os impactos da crise”.

O secretário municipal de Desenvolvimento Social, Carlos Mota, ressalta que o Auxílio Emergencial Municipal consiste em um programa de mais amplitude e diversificação de finalidade em relação ao Bolsa-Alimentação – fornecido pela Prefeitura, em quatro parcelas, a 8 mil estudantes, durante 2020. “Vamos ter uma disponibilidade maior de recursos e por período mais longo, de 180 dias. Além disso, cada família terá liberdade total para pagar contas de água, de luz, ou outras, de acordo com a própria realidade”.

Para receber o benefício, além da renda per capita de até R$ 89, as famílias devem possuir ao menos um integrante de até 15 anos e 11 meses. Assim, para as que possuem filho dentro dessa faixa etária, o valor repassado será de R$ 120, subindo para R$ 180 no caso de dois e R$ 240 a partir de três.

Devido ao caráter emergencial da medida e às condições de distanciamento social impostas pela pandemia, não haverá condicionantes relacionadas a acompanhamento familiar ou frequência escolar dos filhos.

A inserção no programa é automática a partir da base de dados do Cadastro Único, garantindo famílias com cadastro atualizado até o mês passado.

Além de constar no Portal da Transparência, a lista das famílias beneficiárias estará disponível para consulta nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) da Prefeitura e o pagamento será efetuado pela Caixa Econômica Federal (CEF), pelo aplicativo Caixa TEM ou de modo presencial.

LEIA TAMBÉM: