Foto: Divulgação Saturnino de Brito

Projetou os canais

13 DE JULHO DE 2018

Saturnino de Brito: um homem à frente do seu tempo

O engenheiro sanitarista se transformou em peça essencial para a transformação de Santos no quesito saneamento básico

Por: Felipe Rey

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Um dos maiores engenheiros do Brasil completaria neste sábado (14) 154 anos.

Francisco Saturnino Rodrigues de Britto, ou apenas Saturnino de Britto, foi um dos personagens mais marcantes de Santos.

Sua importância é tanta que ele se tornou o pai da Engenharia Sanitária.

O engenheiro sanitarista foi essencial para para o Município.

Ele projetou os canais para melhorar o saneamento básico na região.

Naquela época, a Cidade vivia uma epidemia de doenças como: varíola, peste bubônica, impaludismo, disenteria, febre tifoide.

Apenas a febre amarela, entre as décadas de 1890 e 1900, matou mais da metade da população  santista.

Já nos primeiros anos do século passado,  ocorreram 6.683 óbitos devido a péssima qualidade do saneamento, e também por conta da região ser plana e com constantes alagamentos.

 

Antes das construções dos canais, a região se transformou em um celeiro de doenças em razão das más condições sanitárias e também pelas embarcações que aqui chegavam trazendo doenças e roedores. (Foto: Acervo Novo Milênio.)

 

Com as mortes causadas pela falta de saneamento, em 1903, o Governo do Estado de São Paulo organizou a Comissão de Saneamento de Santos para dar um fim aos problemas insalubres.

Com isso, em fevereiro de 1905, a Comissão passou a ser comandada por Saturnino de Brito.

Canais

Um dos projetos fundamentais para alterar a situação foram os canais que cortam a cidade, ligando suas artérias até o mar.

O projeto consistia na separação das águas de rios e córregos dos esgotos.

Com isso, a proposta de Saturnino de Brito começou a ser discutida na Câmara Municipal de Santos.

Mas não foi fácil, pois existiam muitas dúvidas sobre sua eficácia.

A primeira obra teve início em 1907. (onde hoje está a Avenida Pinheiro Machado).

Neste mesmo ano, ocorreu a entrega do Canal 2 – Av. Bernardino de Campos.

O Canal 1 foi o primeiro dos sete canais a ser contruído. Foi entregue em 1907  (Foto: Acervo Novo Milênio)

Posteriormente foram projetados os Canais 6, em 1919.

Já o 3 e o 4 vieram apenas em 1923. O 5 em 1927, por fim, o 7 em 1968.

Segundo o diretor secretário do Instituto Histórico e Geográfico de São Vicente, Edson Santana do Carmo, Saturnino teve contribuição enorme à engenharia, principalmente na parte de sanitarismo.

Além de contribuir com pesquisas científicas no campo de urbanização.

“Ele acabou recebendo o título de Patrono da Engenharia Sanitária no Brasil, sendo que a cidade que possui o maior acervo de toda a sua obra criadora é  Santos”, afirmou.

 

Referências

Canal 1 – Av. Senador Pinheiro Machado;

Canal 2 – Av. Bernardino de Campos;

Canal 3 – Av. Washington Luiz;

Canal 4 – Av. Siqueira Campos;

Canal 5 – Av. Almirante Cochrane;

Canal 6 – Av. Coronel Joaquim Montenegro;

Canal 7 – Av. General San Martin.

Até hoje, o projeto de Saturnino se manteve inalterado.

Atualmente, os canais são tombados como patrimônio histórico de Santos.

Além disso, os canais se tornaram pontos turísticos dentro da Cidade e sendo referência para localização de turistas e moradores.

Uma das primeiras pontes criadas para a travessia dos moradores. (Foto: Acervo Memória Sabesp)

Projetos

Além do sucesso das obras dos canais, Saturnino percorreu mais de 50 cidades no País, organizando projetos sobre sanitarismo.

Mais especificamente em São Paulo, o sanitarista projetou a obra de regularização do Rio Tietê.

Entretanto, o projeto que acabou sendo eleito pela cidade foi o do engenheiro Prestes Maia.

Em uma palestra realizada na Universidade Aberta do Meio Ambiente e Cultura de Paz, da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente da Prefeitura de São Paulo, Edson defendeu o projeto de Saturnino que apresentou uma visão mais holística sobre o melhoramento do Rio Tietê.

“Previa um grande parque linear onde hoje está a marginal do rio, que recolheria as águas nas épocas de chuvas, respeitando as várzeas existentes na cidade”, contou.

 

Projeto idealizado por Saturnino em relação ao Rio Tietê (Foto: Divulgação)

Edson ressaltou que a ideia não foi a escolhida devido as sérias restrições econômicas da época.

Além disso, ele ainda cita que em Santos também aconteceram restrições em relação a construção dos canais.

Além dos sete canais que cortam a Cidade, existem também os  do Orquidário, o da Rua Moura Ribeiro, da Jovino de Melo, da Rua Francisco Manoel.

Além de subterrâneos, entre eles, um na Rua Brás Cubas, no Centro.

E também os que estão cobertos, como na Avenida Rangel Pestana.

Além dos canais, Saturnino idealizou o projeto de urbanização dos jardins da orla da praia santista, que viria a ser finalizado apenas em 1960 pelo engenheiro Armando Martins.

E também projetou a Ponte Pênsil, em São Vicente.

Conhecido mundialmente

Devido aos projetos dos canais em Santos terem sido um sucesso, países do exterior adotaram a obra e a reeditaram em suas pátrias.

Elas foram recriadas em países como a França, Inglaterra, além dos Estados Unidos.

Por causa das obras sobre saneamento, Saturnino de Brito alcançou prestígio internacional.

Assim, recebeu insígnias da Legião de Honra da França devido aos serviços prestados à humanidade.

Além disso, a revista Technique Sanitaire, de Paris, publicou em 1929 uma frase em homenagem a Saturnino.

Higienista incomparável, que deu aos técnicos da França e do mundo lições e exemplos magníficos”.

Segundo Edson Santana, Saturnino de Brito foi tema de estudos em diversas teses e dissertações em universidades brasileiras.

A Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS) é uma delas.

Homenagens

Neste sábado (14), ocorrerá comemorações pelo nascimento de Saturnino de Brito.

As comemorações acontecerão junto à estátua do engenheiro, no jardim da praia, entre o Canal 1 e a plataforma do Emissário Submarino.

Assim, a homenagem terá início às 10 horas da manhã e contará com a presença das autoridades e convidados.

Após o festejo, haverá uma caminhada pela orla da praia.

Ela será até o monumento de Vicente de Carvalho, no Boqueirão.

Em Santos, ele empresta o nome à sede da Sabesp, na Avenida São Francisco.

E tem uma rua, no Marapé, que o homenageia.

A via se destaca por abrigar a igreja São Judas Tadeu.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.