Tubarão-tigre é encontrado em praia de São Sebastião | Boqnews
Foto: Divulgação

Cidades

03 DE JULHO DE 2015

Tubarão-tigre é encontrado em praia de São Sebastião

Apenas duas ocorrências de captura dessa espécie eram conhecidas até hoje nesse local

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

tubarão-tigreNo dia 30 de junho, por volta das 12 horas, o pescador e biólogo Marcio Silvestre Cadenazzi de Matos, associado ao Projeto Pró-pesca: pescando o conhecimento, do Acervo Zoológico da Universidade Santa Cecília, capturou um exemplar macho de tubarão-tigre com 2,2 metros de comprimento e aproximadamente 100 quilos, a 300 metros da praia de Toque-Toque Pequeno, no município de São Sebastião, estado de São Paulo. Apenas duas ocorrências de captura dessa espécie eram conhecidas até hoje nesse local, uma no começo da década de 80, outra na década de 90.

“Embora o exemplar encontrado dia 30 apresente grande porte quando comparado com outras espécies capturadas na região, trata-se de um animal juvenil, pois a espécie pode alcançar até 7,5 metros e pouco mais de 3 (três toneladas)”, informou o biólogo Matheus Rotundo, coordenador do AZUSC da Universidade Santa Cecília.

O tubarão-tigre (Galeocerdo cuvier) é considerado uma das espécies mais agressivas dentre os tubarões existentes no mundo, com diversos registros de ataques a seres humanos, explica Rotundo. “Alimenta-se de um amplo espectro de animais, dentre eles, peixes (inclusive outros tubarões), raias, tartarugas, aves e mamíferos marinhos, além de crustáceos, lulas, animais mortos e lixo, incluindo latas e pedaços de metal. Embora possua distribuição circunglobal em mares tropicais e temperados, também podem ser encontrados em rios estuarinos”.

A espécie não faz parte de nenhuma categoria da lista de peixes brasileiros ameaçados de extinção. Na lista do Estado de São Paulo é considerada uma espécie com poucas informações para avaliar seu status de conservação. “Assim, este exemplar será de grande auxílio para o conhecimento da espécie no estado e no País. No AZUSC, o exemplar será mensurado, verificado seu conteúdo estomacal e retiradas amostras de tecido para estudos citogenéticos (relativos a DNA). Posteriormente às analises, será tombado na Coleção Científica Regional de Peixes da Costa da Mata Atlântica, pertencente à mesma instituição.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.