Vida & Prazer
Marcia Atik

Psicóloga clínica e terapeuta sexual e de casal

Amores possíveis

28 de janeiro de 2016 - 08:00

Compartilhe

Pode-se amar mais de uma pessoa?

Essa é uma pergunta ou uma reflexão que mexe profundamente com nossos valores, crenças e hábitos.

Apesar de que intimamente quase a totalidade das pessoas já viveu esse conflito, quer na fantasia, quer no segredo de sua alma ou mesmo na culpa carregada, não é raro que quando isso acontece as pessoas envolvidas não se sintam bem mesmo com qualquer dos amores, quando se está com um, se pensa no outro e quando se está com o outro, se sente culpado. Grande dúvida.

Longe de fazer apologia de traição, adultério, ou comportamentos antiéticos, mas não posso deixar de admitir que no campo da psiché e dos caminhos do coração alguns aspectos fogem do nosso controle racional.

…….DEXE-ME TOCAR SUA ALMA COM A SUPERFÍCIE DA PALMA DA MINHA MÃO….

Diz a bela música Alma, que talvez traduza instantes de amor, e desejo onde a intimidade extrapola o concreto e chega a alma, e pensando assim esse sentimento pode aparecer em situações das mais diversas e não apenas com a pessoa com quem se tem um contrato de vida e fidelidade.

A reflexão sobre os sentimentos e as convenções sociais como sabemos e nós, terapeutas de casais, podemos assegurar que volta e meia aparecem permeados de muita dor e sofrimento.

A partir da Idade Média, o romantismo nos inspira a admitir uma única parceria amorosa, e também o conceito do ciúmes.

Mas apesar de sabermos disso nada nos impede que desejemos outras pessoas, pois o desejo erótico escapa do nosso controle racional, e aqui vale ressaltar que a escolha do caminho a seguir, o comportamento diante do desejo, esse sim é de nossa escolha e total responsabilidade.

Então entender e se focar na verdade de que o sentimento não é construído, mas que a relação depende de um trabalho laborioso e amoroso, torna-se fundamental para que sem nenhum tipo de hipocrisia possamos ver e entender o que se sente para a partir daí fazer uma boa escolha, já que a vida, esta sim, é feita de escolhas.