Agora é Com Você!
Rubens Amaral

Médico e apresentador do programa Agora é Com Você - Santa Cecília TV

Hospitais estão doentes

24 de julho de 2015 - 18:07

Compartilhe

Frente à crise na saúde que já remonta há décadas e agora associada também à crise econômica brasileira causada pela corrupção, sofrem nas UTIs, moribundos, muitos de nossos hospitais.
Remuneração inadequada e falta de gestão são os principais fatores de risco para o êxito letal deles.
Buscar novas formas e fontes de recursos financeiros se torna vital para manter a sustentabilidade de hospitais, principalmente, os filantrópicos.

O hospital tradicional que atende doentes internados precisa descortinar novos métodos para se aproximar de uma clientela ainda saudável e que assim quer permanecer. Oferecer mais do que internação é necessário, é oxigênio para os hospitais doentes.

Através da crise podemos encontrar uma oportunidade de inovação e crescimento para que nossos hospitais sobrevivam.

Prescrevo dois importantes medicamentos:
1- os hospitais promotores da saúde;
2- os planos de saúde hospitalares próprios.

Hospitais promotores da saúde são hospitais que vão além dos serviços assistenciais tradicionais e junto com planos de saúde próprios oferecem programas de promoção da saúde, prevenção e gestão de doenças crônicas. Hospitais onde a saúde ganha espaço e onde num único lugar quase todos os produtos de saúde possam ser utilizados e compartilhados pelos pacientes ou só clientes, ainda não pacientes, cuidando do seu maior patrimônio, a saúde, antes mesmo de adoecer.

Programas educativos, motivacionais, palestras, dinâmicas, saúde do homem, da mulher, ambulatórios de especialidades, exames laboratoriais e de imagem, programas contra a obesidade, diabetes, hipertensão, doenças cardíacas e pulmonares, contra o sedentarismo, tabagismo, alcoolismo, stress. Academia, spa. Suporte ao envelhecimento saudável. Tudo com a participação das equipes médicas e de profissionais da saúde do hospital que agora vai cuidar do cliente em todas as fases da sua vida, não só quando necessita de internação, mas desde quando ainda tem saúde, promovendo-a.

Um novo hospital que não trata mais somente da doença.

Especialistas, super especialistas é o que nossos hospitais precisam. Doutores na gestão administrativa, financeira e clínica que tenham a coragem de mudar as convencionais terapêuticas aplicando, urgentemente,medicamentos salvadores para que nossos hospitais voltem a respirar, pulsar e viver.