Arte de Conviver
Laercio Garrido

Professor universitário e escritor.

Importância dos valores

Agredir os próprios valores ou não respeitá-los é praticar o suicídio moral

13 de outubro de 2015 - 13:00

Compartilhe

O ser humano deve estar sempre em sintonia com seus valores. Isto significa que ele necessita refletir profundamente sobre o grau de importância de cada item de sua escala de valores.

Se o dinheiro ocupa um lugar de destaque na escala, a pessoa se sentirá valorizada quando ele for abundante em sua vida. Caso a família esteja no topo da lista, o profissional poderá abandonar uma carreira promissora para passar mais tempo com a esposa e filhos.

Agredir os próprios valores ou não respeitá-los é praticar o suicídio moral, pois as conseqüências serão severas pela perda do sentido de vida.

Princípios e valores, apesar de próximos conceitualmente, não são a mesma coisa. È comum a confusão entre os dois.

Princípios como o respeito, a humildade e a justiça são imutáveis, inflexíveis, impessoais e constantes em qualquer parte do mundo.

Os valores como a liderança participativa, o respeito à individualidade dos colaboradores e o trabalho em equipe são pessoais, refutáveis, subjetivos e influenciados pela cultura vigente.

Os valores devem ser baseados nos princípios, como por exemplo, a inovação que se origina da flexibilidade ou o foco no cliente que tem por base a confiabilidade.

A empresa, para se adaptar às transformações externas, pode adquirir um novo valor como a responsabilidade social e descartar outros que perderam a razão de ser como o foco na produção.
O líder eficaz tem por obrigação manter seus valores alinhados aos valores da organização. Ele precisa vivenciar seus valores procurando liderar pelo exemplo e tornando-se modelo para a sua equipe.

Ele deve aglutinar seus liderados em torno de valores comuns e compatíveis à visão, missão, e valores da organização. Na ausência de valores compartilhados, a relação líder/liderados se deteriora.

Sem valores sólidos, a liderança eficaz não existe tornando-se socialmente destrutiva como já comprovado com Hitler e Saddam Hussein.

A coerência entre os valores dos líderes e equipes com os valores empresariais acarretam consequências positivas no contexto organizacional.

Observam-se altos níveis de lealdade, facilidade no consenso sobre as principais metas, comportamentos éticos, redução dos níveis de tensão e desgaste, orgulho de pertencer è empresa, sinergia nas atividades em equipe, entre outros.

O líder moderno, cônscio de seus valores, sabe para onde está indo e o por quê. Ele precisa identificar, moldar, praticar e comunicar os valores essenciais da organização para compartilhá-los com seus subordinados.

A aderência aos valores organizacionais é responsável pelas estratégias vencedoras. Mas não existe regra sem exceção. O profissional, às vezes, se defronta com um dilema: escolher entre a comodidade de obedecer aos valores corporativos e a coragem de seguir seus valores pessoais.

É uma escolha difícil com sequelas severas independente da decisão tomada. Qual o conflito menos ruim? Com seu superior? Com a empresa? Consigo mesmo?

A visão de uma empresa significa aonde ela quer chegar. A missão com suas estratégias e objetivos simboliza o melhor caminho para isso. Os valores representam o tipo de pavimentação desse caminho.
Assim, para assegurar a sobrevivência, a organização necessita estruturar valores consistentes e compatíveis à sua visão e missão, pois sem eles não haverá caminho para a excelência.