Foto: Divulgação

Opiniões

20 DE AGOSTO DE 2021

Movimentação

Por: Jairo Sergio de Abreu

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

A chegada do ex-presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, ao governo paulista é um claro sinal de articulação do governador João Doria visando as eleições presidenciais, ainda que ocorram desmentidos. Maia foi expulso do DEM, após a eleição da Câmara em fevereiro.

Novos jogadores I

Assim, começa a se formar um arco de alianças em âmbito paulista que pode ser replicado no cenário nacional, caso Doria seja o ungido pelo PSDB nas prévias.
Além dos tucanos, há uma aproximação com o PSL, MDB e os insatisfeitos do DEM e Progressistas.

Novos jogadores II

Este arco de alianças que começa a se formar prevê o apoio a João Doria à presidência e Rodrigo Garcia ao governo do Estado, com o MDB indicando o vice em solo paulista. Afinal, a Capital está agora nas mãos do partido, com Ricardo Nunes, que substituiu o ex-prefeito Bruno Covas, falecido em maio passado.

Novos jogadores II

Neste cenário, o apresentador José Luiz Datena (PSL) deve ser o nome da coligação ao Senado. Já em âmbito federal, a senadora Simone Tabet (MDB) deverá se lançar à presidência. Ou ser vice de Doria. A conferir.

Outro time

Por sua vez, a iminente saída de Geraldo Alckmin do PSDB para o PSD vai atrair uma legião de tucanos, além de membros de outros partidos, como o Progressistas e Podemos. O imbróglio ocorre com o PSB, que discute, em âmbito federal, o apoio ao PT, caso o ex-presidente Lula concorra. O que seria um impeditivo para Marcio França voltar a ser vice de Alckmin. Vaga, aliás, acalentada pelo Podemos.

Sem extremos

Ex-presidente da Câmara Federal e ministro em quatro pastas, inclusive Defesa, Aldo Rebelo, não crê que haja clima para qualquer tentativa de golpe militar. Profundo conhecedor das Forças Armadas, ele descarta esta possibilidade. Pré-candidato à presidência da República, Rebelo defende a discussão de uma agenda para o Brasil, sem extremismos nem de direita, nem de esquerda.

Voltando atrás

Após anunciar a volta das sessões presenciais, a Mesa Diretora da Câmara de Santos recuou e publicou um novo ato, que altera dispositivo divulgado no início do mês, colocando que todas as sessões continuarão ocorrendo de forma híbrida até o final do ano. Motivo: riscos decorrentes da variante Delta.

Merenda criticada

As mudanças no cardápio escolar da rede municipal não tem agradado a garotada. A ponto do tema ser discutido na reunião do Conselho Municipal de Alimentação Escolar. A repetição de prato foi autorizada – algumas escolas estavam se negando, mas houve consenso: os alunos sentem falta do achocolatado e se recusam a tomar o leite com frutas e mingau. Resultado: lixo.

Inquérito civil

O Ministério Público instaurou inquérito civil para apurar as razões da Prefeitura pagar a locação de um imóvel onde funciona a Secasa por mais de um ano. A locação iniciou em novembro de 2019 – bem antes da pandemia – ao valor mensal de R$ 12.500,00 e o espaço só foi ocupado 13 meses depois.

Quem Responde?

Afinal…
a liberdade de expressão não é garantida pela Constituição Federal ou a Justiça tem outra interpretação?

 

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.