Arte de Conviver
Laercio Garrido

Professor universitário e escritor.

O “super gerente”

Texto do livro “A Arte de Conviver”

04 de novembro de 2015 - 15:00

Compartilhe

No mundo atual a função de líder é de fundamental importância, pois são os líderes que gerenciam suas equipes com eficácia e conduzem as empresas a atingir os padrões de excelência. Quando um presidente de renome é venerado pela mídia em todo o mundo como um único responsável pelo triunfo de sua organização é preciso refletir até onde se está fazendo justiça.

Os resultados excelentes da empresa foram alcançados porque os seus diretores, gerentes e supervisores juntos com suas equipes deram seu sangue, suor e lágrimas para fazer a diferença. O presidente não pode comandar tudo sozinho. Muitas vezes, nem mesmo a sua equipe de diretores foi totalmente recrutada por ele.

O mito do superexecutivo precisa acabar. A mídia deve evitar as reportagens voltadas ao endeusamento dos gerentes heróis, seres perfeitos que nunca erram, administram o próprio tempo com maestria, permanecem24 horas por dia ligados à organização, utilizam todas as ferramentas modernas da tecnologia de informação, e o mais “notável” – para não dizer impossível – fazendo tudo isso sem perder o convívio saudável com a família.

Muitos livros e revistas relatam histórias sobre carreiras gerenciais bem sucedidas, fortalecendo a ideia errada – intencionalmente ou não – de que gerenciar pessoas é algo extremamente difícil e inatingível para a maioria dos mortais.

A intenção pode ser das melhores, ou seja, divulgar como pensa e age aquele executivo de comprovado triunfo para ajudar os leitores a se transformar em gerentes eficazes. No entanto, o resultado para muitos estudantes e profissionais em início de carreira é desastroso, pois eles se sentem culpados e complexados pela própria incompetência de um dia vir a alcançar um desempenho similar aqueles seres “míticos e perfeitos”.

Ser um gerente de sucesso pode não ser fácil, mas é menos difícil do que muitos pensam e não são necessárias características sobre-humanas para conseguir que sua equipe alcance aos resultados esperados. O líder não precisa se transformar em um ser mágico reunindo um conjunto de comportamentos e atitudes excepcionais…

Ser um gerente de sucesso é algo perfeitamente viável para alguém que saiba utilizar de forma equilibrada sua inteligência racional e emocional; que se empenhe continuamente em conhecer e gerenciar a si mesmo; que consiga conhecer as necessidades e expectativas de sua equipe; que seja capaz de identificar os seus erros e de aprender como corrigi-los a médio e longo prazos; que tenha a persistência de nunca desistir sem se deixar vencer pelos naturais tropeços da jornada…

A formação de um gerente eficaz dependerá da orientação de seu líder imediato – coaching – ou de um mentor, de programas internos e externos de treinamento e desenvolvimento, e principalmente da consciência de que o auto desenvolvimento nunca poderá ser deixado de lado.

Nunca esquecer que o gerente de sucesso é simplesmente uma pessoa comum que gerencia pessoas comuns em situações comuns e incomuns a atingir resultados incomuns.

Isto não significa que ser gerente seja algo fácil. Mas o positivo é que ser difícil e complexo é um ótimo desafio a ser vencido, pois não há mérito em superar algo que não apresenta dificuldades.