Vida & Prazer
Marcia Atik

Psicóloga clínica e terapeuta sexual e de casal

Quem ama…

Novo artigo da psicóloga Márcia Atik

19 de dezembro de 2016 - 11:51

Compartilhe

Essa semana acompanhei meio de longe,o julgamento de alguém que diz que matou por amor ou por injúria,podemos refletir sobre isso sobre vários aspectos,o da psicopatologia,o da inveja ou mesmo o da falta de caráter,mas me levou a pensar sobre algo que vemos todos os dias no consultório,o desencontro pelo ciúme,que nesses tempos de localizadores e celulares dão margem a mil e uma elucubrações e suspeitas.

Infelizmente o tolo e primitivo ciúme, mal elaborados que não significam cuidados e preocupação, mas sim ciúmes como resultado de sentimento de posse e controle é uma praga para qualquer relacionamento. Para um bom ciumento, meia informação basta para que um monstro se ergue dentro dele ,destruindo muito mais o próprio ciumento do que a pessoa ciumada.

As mídias sócias que vieram para ampliar as nossas possibilidades acabaram sendo uma ferramenta utilizada para esse nefasto controle.

Qualquer relacionamento para crescer e evoluir tem fases boas ou ruins, mas que se trabalhadas e aproveitadas num aprendizado constante para o casal serão alguma coisa muito melhor do que brigas.
Um ponto que acho que seja fundamental num relacionamento é justamente que os pares respeitem a individualidade, os sonhos e as circunstancias do outro.

Portanto os conflitos são uma possibilidade e os desencontros são sempre possíveis de ocorrer, mas desde que sejam aproveitados para depurar e melhorar a relação são bem-vindos, levando em conta a necessidade de respeito entre ambos mesmo que haja divergência de conceitos e opiniões.

Manter a chama da curiosidade pelo mundo e pelas possibilidades pessoais do outro é uma forma de interesse que reflete positivamente na relação, pois estimula a admiração e a alegria pelas conquistas do par., reforçando a cada momento o interesse sobre si pelo outro.

Portanto não valorizar os desencontros ,mas valorizando sinceramente o que cada um faz pela relação e deseja construir conjuntamente isso é olhando o outro com o desejo de aproximar,reconhecer os motivos que fizeram com que se aproximassem.

Considerado como prova de amor, valorizado enquanto sentimento, o ciúme é causa de muita dor e aborto de muitas relações.

O ciúme é sempre tirano e limitador. O ciumento, geralmente, tem duas características básicas: incapacidade de ficar sozinho e baixa autoestima.

Quem não confia em seu potencial, teme ser trocado por outra pessoa o tempo todo.A insegurança faz ouvir o nome do outro em conversas, risadas e vê olhares de um cego para a pessoa com quem está ligado..

Para evitar esse sentimento, o ciumento se protege restringindo a liberdade do parceiro e tentando controlar suas atitudes.

Só quem acredita ser uma pessoa importante não se deixa levar pelo ciúme, pois sabe que não é descartável e não será dispensado ou trocado facilidade.

..Pode até sofrer no caso de uma separação, mas tem a certeza de que vai continuar vivendo sem desmoronar e com esperança de encontrar outro parceiro que o complete.

Pense nisso.