Vida & Prazer
Marcia Atik

Psicóloga clínica e terapeuta sexual e de casal

Quem quer faz a hora

A primeira vez é um dos assuntos mais questionados pelos jovens, por isso tenho recebido muitas perguntas por e-mails

18 de fevereiro de 2016 - 08:00

Compartilhe

Tenho recebido e-mails de muitas e muitos jovens com dúvidas sobre a virgindade e/ou a primeira vez. Isso é muito bom por dois motivos: os jovens andam lendo mais, pois escrevem a partir desta coluna ou do blog. Segundo: bom motivo para falar disso é que os jovens estão saindo da onda do “ usou, lavou, tá novo”. O interesse no assunto mostra isso.

As garotas americanas estão esperando mais tempo para tornarem-se sexualmente ativas. Isso é o que aponta uma pesquisa feita pelo site Hercampus.com – uma comunidade online para universitárias.
Segundo o estudo, que foi feito com 2.600 garotas com idade entre 17 e 23 anos, 69% das entrevistadas disseram só ter perdido a virgindade após completar 18 anos. Para as entrevistadas que mantinham relações sexuais, 12,3% perderam a virgindade aos17 anos e 9,5% disseram que sua primeira vez tinha acontecido aos 16 anos.

“A demora em acontecer a primeira relação sexual parece alta. Isso pode acontecer por conta da seleção dos entrevistados”, diz Laura Lindberg, pesquisadora do Guttmacher. No entanto, Lindberg defende que isso não é surpreendente, devido à renda, escolaridade e raça.

A pesquisadora ainda ressalta que a virgindade hoje tem menos estigma do que no passado. De acordo com o Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC), nos Estados Unidos, a proporção de meninas que já tinham tido relações sexuais aos 19 anos diminuiu. Em 1988, eram 51%; em 2010, esse número caiu para 43%. Já para os homens, o declínio parece ainda maior: se em 1988 eram 60%, em 2010 passaram a ser 42%.

Creio que a importância dessa pesquisa está muito mais no fato de que se espera que o início da vida sexual não seja administrado como um evento obrigatório, mas como consequência de algo que mobilize, pode ser amor, admiração, identificação ou mesmo desejo.

Aspectos que sabemos que o boom sexual – dos anos 80 para cá – renegou e priorizou o ser ou não ser virgem em contraponto à esperada e necessária virgindade dos anos precedentes. E viva a liberdade!!!
A questão da virgindade e da primeira relação sexual é essencialmente pessoal. Só o jovem pode saber o momento certo, aquele em que ele ou ela estará preparado para isso, pois não se trata apenas de um encontro sexual, mas sim de uma atitude amplamente baseada em fatores familiares, culturais e sociais. Neste sentido cada um conhece seus valores e os de seu grupo.

O mais importante é saber que não se deve ter uma relação sexual sem a certeza de que isso está acontecendo por uma escolha consciente de dar vazão ao seu próprio desejo sexual.Também é fundamental que isso aconteça com uma pessoa em quem se confie. Esses dois aspectos importantes fazem o momento certo.

Conhecendo-se e aos seus desejos e confiando na pessoa escolhida, o encontro sexual pode acontecer a qualquer momento da vida.

Isso é verdadeiro para os homens e para as mulheres, pois diferentemente do que fomos levados a crer na questão das possibilidades os desejos sexuais de homens e mulheres são iguais, diferem apenas no gênero: feminino e masculino.

E sempre é bom lembrar que independente de todos esses fatores que predispõem um início saudável e feliz da vida sexual, o uso de preservativos é indispensável.