Sol Nascente
José Adelson

Professor de língua japonesa e jornalista.

Um Brasil Japonês

16 de setembro de 2011 - 20:42

Compartilhe

Pense bem e responda rápido: o que você tem ou consome em casa com uma pitada japonesa? Certamente, quase tudo. Da TV, ao aparelho de som, nas frutas e verduras, a mãozinha do Nipo-Brasileiro está sempre presente. Sony, Sanyo, Panasonic são nomes comuns nos lares brasileiros. O shoyu, tradicional molho de soja japonês, além da laranja ponkâ, o kiwi e a maçã Fuji também têm a pitada dos nipônicos.


Entretanto, o Japão no Brasil vai muito mais longe.Os Animes e Mangás, populares desenhos animados e as histórias em quadrinhos, também estão cada vez mais presentes entre jovens e crianças do País. E esse fenômeno não é recente. Ao contrário. Quem não se lembra, por exemplo, que há três décadas falava-se em Ultraseven, Godzilla, Jiraya e mais recentemente, Pokemon e Naruto.


Hoje, falar em ikebana e origami também já não soam de maneira estranha aos ouvidos dos brasileiros. Tomar saquê, comer sushi e sashimi, além de jogar beisebol, também não são coisas de japonês.
Na prática, seria humanamente impossível enumerarmos as influências e as contribuições dos japoneses para a cultura  brasileira. Porém,nos setores agrícola e alimentício estão os exemplos mais evidentes e sempre  enaltecidos pelos quatro cantos do território verde-amarelo.


Brasil e Japão, além de serem bons parceiros diplomáticos e comerciais, são dois países verdadeiramente irmãos. Existem cem anos de histórias, vitórias, conquistas e derrotas que começaram a tormar forma no dia 18 de junho de 1908, quando aportou no Porto de Santos o navio Kasato Maru, tornando o Brasil, o país mais japonês do mundo.


Parabéns Brasil! Parabéns Japão!