Diretor-geral do TRE fala sobre filas provocadas pela biometria | Boqnews
Foto: Fernando Frazão/ Agência Brasil

Eleições 2022

02 DE OUTUBRO DE 2022

Diretor-geral do TRE fala sobre filas provocadas pela biometria

Claucio Corrêa garantiu que todos os eleitores que chegarem à seção eleitoral até às 17h poderão votar

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Em coletiva de imprensa no começo da tarde deste domingo (2), o diretor-geral do Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), Claucio Corrêa, falou sobre o possível atraso em algumas seções eleitorais por conta do uso da biometria para identificação dos eleitores.

Segundo ele, as eventuais filas estão dentro das expectativas.

“A biometria não é um meio ágil de votar, é um meio seguro de votação. Ela serve para garantir que o eleitor que comparecer perante a mesa receptora de votos realmente é de fato quem diz ser. É este o objetivo da biometria: trazer mais segurança para o resultado das eleições”, afirmou.

A expectativa é que em algumas seções eleitorais a votação se encerre até por volta das 18h ou 19h. Claucio Corrêa esclareceu que todos os eleitores que comparecerem à seção eleitoral até às 17h poderão votar.

Quem estiver no local nesse horário receberá uma senha, e a votação naquela seção só será encerrada após a votação de todos que eventualmente estejam aguardando em filas.

Só então será emitido o boletim de urna daquela seção e, por fim, os dados serão transmitidos ao Tribunal Superior Eleitoral para totalização.

O diretor-geral do TRE também lembrou que em 2019 foi feita uma grande campanha para cadastramento biométrico dos eleitores no estado. Nas eleições de 2018, 45,15% do eleitorado de São Paulo tinha a sua biometria registrada.

Neste ano, esse total chegou a 67,13%. Um possível reflexo na demora para votar por conta da biometria após esse aumento expressivo seria avaliado nas eleições de 2020. Mas, por conta da pandemia, para evitar filas e aglomerações, nas eleições daquele ano não foi feita a identificação biométrica do eleitorado.

Além disso, segundo Cláudio Corrêa, eventuais demoras também ocorrem devido a um grande afluxo de eleitores da mesma seção no mesmo horário. “Nós sabemos, de maneira mapeada, que das 11h até por volta das 14h é um horário de pico, porque muitos eleitores e eleitoras querem votar um pouco antes do almoço ou logo na sequência”, disse.

Nesta eleição, mesmo que não tenha comparecido ao cartório eleitoral para coletar os seus dados biométricos, se o eleitor ou eleitora tiver registrado a sua impressão digital em algum órgão parceiro da Justiça Eleitoral ela pode ser utilizada para a sua identificação.

Dados biométricos de 4,2 milhões de eleitores paulistas cadastrados no Denatran devem ser usados este ano. De acordo com o diretor-geral do TRE, isso não acarreta nenhuma demora a mais para votar, o procedimento de identificação é o mesmo daquele com a biometria coletada pela Justiça Eleitoral.

São feitas quatro tentativas de identificação por biometria. Se não funcionar, é feita então uma pergunta de um dado pessoal ao eleitor ou eleitora para liberar a urna para votação. Além disso, todos precisam apresentar um documento pessoal com foto para votar.

“A avaliação até o momento é positiva, está tudo correndo dentro da expectativa. Os eleitores estão comparecendo, não temos casos de violência política, apenas alguns problemas pontuais”, disse Claucio Corrêa. “Os eleitores e eleitoras estão exercendo a sua cidadania de forma pacífica, tranquila e segura.”

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.