Política

Analista político não observa possibilidades de Bolsonaro sofrer impeachment

Apesar de mais uma polêmica, as chances do presidente sofrer o processo de Impeachment são raras

27 de maio de 2020 - 17:35

Da Redação

Compartilhe

Na última sexta-feira (22), foi divulgado trechos da gravação do vídeo da reunião ministral que aconteceu no dia 22 de abril.

O conteúdo já tinha sido comentado pelo ex-ministro Sérgio Moro, durante o pronunciamento de sua demissão. De acordo com o juiz, o presidente tentou interferir na Polícia Federal, a fala de Jair Bolsonaro na reunião ministerial seria uma das provas.

Confira o trecho

“É a p…. o tempo todo pra me atingir, mexendo com a minha família. Já tentei trocar gente da segurança nossa no Rio de Janeiro, e não consegui! E isso acabou. Eu não vou esperar f… a minha família toda, de sacanagem, ou amigos meu, porque eu não posso trocar alguém da segurança na ponta da linha que pertence a estrutura nossa. Vai trocar! Se não puder trocar, troca o chefe dele! Não pode trocar o chefe dele? Troca o ministro! E ponto final! Não estamos aqui para a brincadeira.” ressaltou, o presidente.

As falas de Bolsonaro geraram dúvidas se é possível um processo de  impeachment como consequência.

Segundo o analista político, Fernando Chagas, o material é de se impressionar. Entretanto, não há chances do presidente sair do cargo no atual momento.  “O Bolsonaro até o fim da pandemia está tranquilo. Não temos manifestações e o presidente consegue números suficientes de votos no senado para impedir um impeachment”, ressaltou Chagas.

O analista também frisou que a pandemia deveria ter sido o assunto central da reunião e apenas o ex-ministro Nelson Teich, tentou abordar o tema. “Era necessário pensar em um plano para conter a pandemia e assim, depois de saber o que fazer, pensar em como retornar com a economia do país”, concluiu o profissional.

Vale ressaltar que a aproximação de Bolsonaro com o Centrão é fundamental para a estratégia política do presidente.

LEIA TAMBÉM: