Trânsito

Confira 10 atitudes que podem contribuir com um trânsito mais seguro

O Estado de São Paulo concentra o maior número de motoristas e frota do país.

27 de julho de 2016 - 12:43

Da Redação

Compartilhe

Nesta quarta-feira (27), celebra-se o dia do motociclista. Dois dias atrás, na segunda (25), foi o dia do motorista. Só no Estado de São Paulo, que concentra o maior número de motoristas e frota do país, são mais de 22 milhões de pessoas habilitadas e quase 28 milhões de veículos registrados (1/3 da frota do Brasil).  Santos se destaca com sua frota, que aumenta a cada ano. Atualmente, segundo dados do Denatran de 2015, são pouco mais de 48 mil motocicletas, 23 mil motonetas e 141 mil carros.

O número elevado de veículos nas ruas e a imprudência de motoristas, ciclistas e pedestres resultam – infelizmente – em muitos acidentes. Mais de 40 mil vidas são perdidas no trânsito por ano em todo o Brasil e 7 mil no Estado de São Paulo, segundo Datasus.

Em Santos, o número também é grande e aumentou do ano passado para cá nos primeiros meses. De acordo com dados do Infosiga, ampliou em 71% o total de mortes nos primeiros cinco meses deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. De janeiro a maio, foram 24 mortes – uma a cada 6,3 dias.

Educação no Trânsito

Com esse cenário, o Detran.SP aproveita as datas comemorativas para trazer dicas de educação para o trânsito. “As datas são propícias para reforçar a importância do uso consciente dos veículos, priorizando sempre a vida. O Detran.SP tem ampliado suas ações voltadas à segurança no trânsito, com participação em comitês de discussão, promoção de campanhas educativas e fomento à pesquisa”, ressalta Neiva Aparecida Doretto, diretora-vice-presidente do Detran.SP.

Confira abaixo 10 atitudes, já inseridas no código brasileiro de trânsito, e que podem  diminuir o número de acidentes, multas e aborrecimentos

1) Nada de beber e dirigir – O álcool prejudica os reflexos e a coordenação. Nunca pegue o volante após ingerir bebida alcoólica, por menor que tenha sido a quantidade, porque aumenta muito a chance de envolvimento em acidentes.

2) Motociclista use capacete, calçados e vestuário adequado – Em caso de acidente, eles podem ser a diferença entre um susto ou um ferimento muito grave. Os motociclistas são o segundo tipo de vítima fatal mais frequente no Estado, cerca de três vezes mais que os pedestres, segundo o levantamento do Observatório Paulista de Trânsito.

3) Preste atenção no trânsito e não no celular – O celular é inimigo dos condutores, pois desvia a atenção e tira a capacidade de reagir rapidamente no trânsito, se necessário. O aparelho só pode ser usado quando o veículo estiver estacionado. Nunca em movimento ou em breves paradas, como em semáforos e pedágios. Enquanto o veículo estiver em deslocamento, o celular pode ser utilizado somente na função GPS e deve ser fixado no para-brisa ou no painel dianteiro. Para mexer na função GPS, no entanto, é preciso estacionar. A mesma regra vale para motocicletas.

4) Celular: inimigo também dos pedestres – O uso de celular também causa a desatenção dos pedestres, que, por vezes, atravessam as vias sem os devidos cuidados e podem ser vítimas de atropelamentos. Acidentes que envolvem atropelamentos lideram o ranking de óbitos em todo o Estado, segundo o levantamento do Observatório Paulista de Trânsito.

5) Use a seta, sem medo – No trânsito, é muito importante ver e se manter sempre visível. Por isso, o condutor deve sempre sinalizar seu deslocamento com antecedência para os demais motoristas e pedestres. A seta deve ser acionada antes de mudar de faixa ou de direção, fazer ultrapassagens, conversões e retornos.

6) Ultrapassagem do jeito certo – Colisões laterais e frontais são comuns e podem causar acidentes com fatalidades e vítimas graves. Ultrapassagens feitas de forma irregular, ou seja, pela direita da faixa ou em locais proibidos para isso são causas comuns desses acidentes. A regra vale para todos: a ultrapassagem de outro veículo em movimento deve ser feita em locais permitidos pela sinalização e sempre pela esquerda, exceto quando o veículo a ser ultrapassado estiver na faixa apropriada e sinalizando o propósito de entrar à esquerda.

7) Respeite o limite de velocidade da via – Adotar uma velocidade adequada ao trânsito evita aborrecimentos e tragédias. Em hipótese alguma ultrapasse o limite máximo indicado na via. Mas nem sempre será possível andar no limite, como quando houver congestionamento, por exemplo. Assim, é fundamental respeitar as características do trânsito e manter sempre a calma. Estresse não contribui no trânsito. Reduza a velocidade também onde, por exemplo, exista maior concentração de pedestres, ciclistas e motociclistas.

8) Se tem ciclista, guarde a distância de 1,5 metros – Respeitar o espaço de deslocamento entre o veículo e o ciclista é vital. Os veículos maiores devem dar a preferência para os menores. Dados do Observatório Paulista de Trânsito apontam que os ciclistas são o quarto tipo de vítimas fatais ou internadas por acidentes de trânsito no Estado, por isso, reduza a velocidade e reforce a atenção ao se aproximar de um deles na pista.

9) Se a vaga para estacionar é preferencial, atenção – Desde janeiro deste ano, o motorista que desrespeita o uso das vagas preferenciais (para pessoas com deficiência ou idosos, por exemplo) em estacionamentos passou a ser tratado com mais rigor.

10) Faixa de pedestres é para o pedestre – Outra infração comum diz respeito ao condutor que para o veículo sobre a faixa de pedestres na mudança de sinal luminoso. Resultado: o pedestre acaba atravessando fora da faixa e corre o risco de atropelamento. Os pedestres continuam sendo o tipo de vítima fatal por acidentes de trânsito mais frequente no Estado, segundo levantamento do Observatório Paulista de Trânsito. Por isso, reduza sempre a velocidade nos locais de travessias e de grande concentração de pedestres, como escolas, hospitais e terminas de ônibus, trens e metrô.

LEIA TAMBÉM: