Organismo readaptado | Boqnews

Turismo

17 DE OUTUBRO DE 2008

Organismo readaptado

À meia-noite de domingo (19) , os relógios devem ser adiantados em uma hora.  Criado para economizar energia, o horário de verão é adotado nessa época do ano por causa do aumento na demanda, ocasionado pelo calor e pelo crescimento da produção industrial às vésperas do Natal. Nesse período, os dias têm maior duração por […]

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

À meia-noite de domingo (19) , os relógios devem ser adiantados em uma hora.  Criado para economizar energia, o horário de verão é adotado nessa época do ano por causa do aumento na demanda, ocasionado pelo calor e pelo crescimento da produção industrial às vésperas do Natal. Nesse período, os dias têm maior duração por causa da posição da terra em relação ao sol e a luminosidade natural pode ser melhor aproveitada.

É comum que, com a mudança de horário, algumas pessoas sintam-se mais cansadas e com dificuldades para ter uma noite de sono tranqüila nos dias subseqüentes.  

“Além do sono, outros sintomas comuns com a mudança de horário são a falta de concentração, hipertensão, irritabilidade e distúrbio gastrointestinal, como diarréia, por exemplo”, explica o neurologista e especialista em Medicina do Sono, Faustino Pacheco.

Segundo ele, esses sintomas se manifestam ou não, por uma questão de adaptação do organismo.  “Eles são característicos do início da mudança de horário. Algumas pessoas sentem a diferença e outras não”, explica.
 
O mal-estar que a mudança de horário causa em algumas pessoas também está ligado à produção de serotonina, substância produzida com a claridade do dia.  Como no horário de verão a claridade ocorre por um período de tempo maior, as pessoas ficam mais dispostas e o organismo produz mais serotonina e menos melatonina,  o hormônio regulador do sono.

“Após o início do horário de verão, o organismo começa a se adaptar e o cérebro  produz melatonina uma hora mais cedo do que o usual.  Após nove dias, mais ou menos, o organismo tende a se adaptar à mudança”, diz.

De acordo com o especialista não há como prevenir o mal-estar e cansaço durante os primeiros dias do novo horário.
A única alternativa é esperar até que o organismo se adapte às mudanças. “Uma noite de sono perdida não se recupera.  Não existe poupança de sono, por isso é importante dormir bem”, finaliza.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.