vida

Atendimento em casa

Com o aumento do número de pessoas na terceira e quarta idades, um novo modelo de assistência médica promove melhor…

30 de julho de 2010 - 19:15

Da Redação

Compartilhe

Com o aumento do número de pessoas na terceira e quarta idades, um novo modelo de assistência médica promove melhor qualidade de vida no atendimento, evitando deslocamentos, filas e espera, o que acontece atualmente nos hospitais públicos ou particulares. É o Home Care, traduzindo do inglês – cuidados em casa.
   
Há 16 anos, empresas criaram este modelo de atuação no Brasil, segundo o Portal Home Care, visando um atendimento mais humanizado e personalizado, o que possibilita o desafogamento dos hospitais, evitando, inclusive, infecções hospitalares. Na Baixada Santista há quatro empresas especializadas em assistência médica domiciliar, segundo o NEAD (Núcleo Nacional das Empresas de Serviços de Atenção Domiciliar).
O serviço é direcionado às pessoas de todas as idades, inclusive aos idosos, para os mais variados tipos de doenças, como Mal de Alzheimer, câncer, doenças cardiovasculares, derrame e até procedimentos mais simples como troca de curativos, sessão de fisioterapia, inalação ou banho. O sistema possibilita internações domiciliares, transformando o quarto do paciente em uma UTI, monitoramento de doenças crônicas e tratamento quimioterápico.

O sistema do Home Care pode ser indicado pelo plano de saúde do paciente ou por contratação particular. Segundo estudo realizado pelo NEAD em 2006, 30 mil pacientes são atendidos por mês em regime de Home Care e 73% das empresas especializadas têm como clientes os planos de saúde.

Orientação e Prevenção
Segundo o cardiologista Willian da Costa, coordenador da empresa Ideal Care, as pessoas dificilmente vão a um hospital para orientações e prevenção de doenças. Segundo o médico, o paciente só comparece ao consultório quando já está doente. “O preço da doença é muito alto, pois vai além do médico, exame e remédio. A doença gera gastos com transporte, com a mobilização de familiares e alterações da rotina, portanto, muito desgastante”. Segundo ele, o conceito de tratamento domiciliar oferece “maior liberdade de uma vida social normal por parte dos familiares, com menos sofrimento”. Para Costa, tanto o tratamento quanto a precocidade do diagnóstico agiliza na cura do paciente, assinam como na recuperação do paciente em um menor prazo.

O cardiologista cita como exemplo o cuidado que o paciente pode ter para evitar uma doença grave. Ele pode gastar cerca de R$ 150 com remédios para prevenção de infarto por mês e evitar uma internação e cirurgia e, consequentemente, não ter o derrame, o que é um custo maior do que o valor mensal. Para Costa, é de suma importância a prevenção, pois as doenças do coração e cérebro normalmente são tratadas quando chegam em sua fase avançada, pois o paciente não a percebe anteriormente.

Além da prevenção, uma sessão de fisioterapia ou aplicação de medicamentos pelo sistema de home care custa em torno de R$40. Os preços são tabulados pelo Brasíndice, que regulamenta os preços de serviços neste segmento.

Cuidados informais
Uma opção de cuidados pode ser realizada pelos cuidadores informais, sob supervisão e orientação de um profissional de enfermagem. As cidades da Baixada Santista oferecem cursos de capacitação. A Secretaria de Saúde de Santos promove três edições anuais do Curso de Cuidadores da Pessoa Idosa e já formou 23 turmas, cada uma com cerca de 120 integrantes. A terceira capacitação de 2010 será iniciada no final de agosto, com inscrições a partir da segunda quinzena do mês, em data ainda a ser definida. As aulas ocorrem sempre no período da tarde, no auditório do prédio do Banco do Brasil (Rua XV de Novembro, 195 – 9o andar – Centro). As inscrições serão divulgadas por meio do Diário Oficial.

Em São Vicente, há 50 vagas para o 5o Curso de Capacitação em Assistente do Idoso. O curso tem como objetivo habilitar assistentes treinados para atender as necessidades das pessoas com mais de 60 anos. As aulas abordam temas importantes para a terceira idade, como primeiros socorros, cuidados com o idoso, prevenção de quedas, envelhecimento, sexualidade e espiritualidade. As inscrições já começaram e terminam com o preenchimento das 50 vagas. O valor da inscrição é de R$ 90 e pode ser feita na Sala dos Voluntários do Hospital Municipal (Rua Ipiranga, 353 – Centro), das 8 às 19 horas.

Autorizados
Existem quatro empresas autorizadas e cadastradas a prestar esse tipo de serviço na região: Home Health Care Doctor Serviços Médicos Domiciliares –  3234-6338; Home Life Assistência Domiciliar em Saúde – 3223-2077; Staff Serviços de Home Care S/A – 4009-8929. Ideal Care Ltda – 3261-2949. Informações adicionais pelo www.neadsaude.org.br

LEIA TAMBÉM: