vida

Campanha identifica casos de hepatite entre trabalhadores do porto

          A mais recente campanha realizada no Porto de Santos para detecção de infectados com o vírus da hepatite…

16 de outubro de 2008 - 15:07

Da Redação

Compartilhe


 


        A mais recente campanha realizada no Porto de Santos para detecção de infectados com o vírus da hepatite apontou um resultado preocupante: 85 pessoas com a possibilidade de estarem infectadas com o vírus da hepatite B. Para o diagnóstico completo, são necessários exames complementares aos testes feitos no Porto, porém já é possível afirmar que 12 pessoas podem ter uma infecção aguda ou crônica da hepatite B e o restante ainda necessita de mais investigação. A ação foi realizada pelo Grupo Esperança, entidade sem fins lucrativos de apoio aos portadores de hepatites de Santos e Baixada Santista, em parceria com a medicina ocupacional do Órgão Gestor de Mão-de-Obra do Porto de Santos e o hospital da Sociedade Portuguesa de Beneficência.


 


     A população portuária passou por testagem para Hepatite C em 2007, o que apontou uma incidência alarmante de 7% em 2178 testados. “Este número se deve à facilidade do contato com algumas  formas de transmissão (higiene do local, meretrício, cargas a granel, incluindo as importadas)”, esclarece Jeová Pessin Fragoso, diretor-presidente do Grupo Esperança.


 


       O resultado motivou a testagem da Hepatite B. No total, 1.570 trabalhadores portuários passaram pelo teste, por serem considerados um grupo suscetível ao contágio. A aceitação entre os trabalhadores foi muito boa, gerando inclusive procura por novas campanhas, entre aqueles que não puderam participar. Os diagnósticos ainda não foram confirmados, por conta da necessidade de exames complementares.


 


        Entre os possíveis doentes, alguns podem ter desenvolvido anticorpos e não estarem com o vírus em atividade, ou então podem ter sido imunizados pela vacina da hepatite e não se lembrarem. Cerca de 90% dos adultos infectados desenvolvem anticorpos contra o vírus da hepatite B numa fase aguda e tornam-se imunes. Outros 10%, contudo, evoluem para a forma crônica da doença, necessitando de acompanhamento médico e tratamento adequado.


       


       O encaminhamento dos resultados positivos foi feito para o Grupo de Fígado da Sociedade Portuguesa de Beneficência de Santos e os exames complementares são gratuitos.


 


                                             Prevenção


 


        Os resultados foram devolvidos dez dias após a coleta pelo laboratório de análises clínicas. Aqueles que tiveram resultado negativo receberam a vacina para imunização, fornecida pela Secretaria Estadual de Saúde, além de orientações para a sensibilização de seus familiares e amigos sobre os testes nos postos de saúde da região. A campanha, que aconteceu no final de julho, coincidiu com uma ação do município, proposta pelo Ministério da Saúde, de mutirão para testagem do HIV, denominada “Fique Sabendo”. Em Santos e outras cidades vizinhas foram incluídos os testes das hepatites B e C. No total, mais de 15 mil pessoas foram atendidas.


 


        Com mais esta ação, o Grupo Esperança reforça sua missão de melhorar a qualidade de vida dos pacientes e incentivar ações de prevenção das doenças. “A idéia é promover mais informação e assim prevenir o contágio das hepatites virais”, comenta Jeová Pessin Fragoso, diretor-presidente da entidade.

LEIA TAMBÉM: