Estética

É possível eliminar gordura localizada?

O corpo queima gordura de uma forma geral, sem levar em consideração as áreas que causam maior desconforto emocional ou um aspecto físico mais desagradável.

01 de agosto de 2019 - 16:16

Da Assessoria

Compartilhe

Durante muitos anos foi propagada a ideia de que era possível queimar gordura de locais específicos do corpo somente com exercícios físicos.

Apesar da propaganda constante para venda de produtos e serviços, saiba que este fato não faz parte da realidade.

Seu corpo queima gordura de uma forma geral, sem levar em consideração as áreas que causam maior desconforto emocional ou um aspecto físico mais desagradável.

Em outras palavras: seu emagrecimento ocorre de forma uniforme, e não somente no abdômen, no culote ou em outra área corporal.

As dezenas de produtos e serviços que prometem este resultado apostam simplesmente no seu resultado geral, que consequentemente, afetam o local do corpo que você mais deseja modificar.

Os únicos métodos que realmente garantem a queima de gordura localizada são as cirurgias plásticas como a lipoaspiração e suas técnicas semelhantes.

Assim, ao longo deste post, falaremos mais sobre o tema e informaremos quais são as melhores alternativas da medicina para quem deseja simplesmente eliminar gordura de somente uma região.

Pronta para saber mais a respeito?

Continue sua leitura até o final!

 

Entendendo como a queima de gordura acontece

 

A queima de gordura é um processo fisiológico relativamente complexo, mas nada impede que façamos um pequeno demonstrativo básico para instruir um pouco sobre como ela acontece.

Em princípio, a queima de gordura ocorre com a metabolização do conteúdo das células adiposas, que normalmente estão como “triglicerídeos” e outras substâncias semelhantes.

Ao queimar mais calorias que seu corpo consome, o organismo é obrigado a adentrar nos seus estoques de energia — nas suas células de gordura — para suprir a demanda energética daquele momento.

Quando isso acontece, os triglicerídeos e o conteúdo dos adipócitos são utilizados como uma das fontes primárias de energia, fazendo com que o conteúdo queimado se transforme em ATP e em outras substâncias importantes para o funcionamento do seu corpo.

Este processo fisiológico acontece em todo o corpo, e seu organismo não “escolhe” quais são as áreas em que ele deve realizar a queima de gordura — nem mesmo quando você faz um exercício específico.

O que ocorre é que com o passar do tempo e com o aumento do emagrecimento, você nota mais facilmente que aquelas áreas em que havia um acúmulo maior de gordura passa a diminuir, dando a falsa impressão de que a gordura foi queimada de maneira localizada.

É fundamentalmente importante entender que não existe dieta ou exercício físico capaz de causar um resultado local quando o assunto é queima de gordura.

Isso só acontece nos procedimentos cirúrgicos, que é o nosso próximo assunto.

 

A lipoaspiração e suas principais vertentes

 

A lipoaspiração é o único método comprovado pela ciência que consegue eliminar a gordura de maneira localizada.

Lembre-se que esta remoção é física, e não se trata de um processo fisiológico do próprio organismo.

Tudo ocorre de forma exógena, em um procedimento médico relativamente complexo e que apresenta algumas limitações.

Uma das principais limitações é o volume de gordura que pode ser aspirado do paciente.

Diferente do que muitas pessoas imaginam, não é possível emagrecer tudo aquilo que se precisa somente com uma lipo.

Parte disto acontece pela intensidade do procedimento, que costuma danificar as camadas mais profundas da pele, causando micro sangramentos e outras lesões de baixa gravidade.

A lipoaspiração é um procedimento clínico que só pode ser feito por um cirurgião plástico em ambiente controlado e de acordo com uma prescrição adequada.

Hoje, existem algumas vertentes que são menos agressivas e que garantem um resultado semelhante ou até mesmo superior — tudo depende da circunstância, quadro e principalmente objetivo do paciente interessado.

Abaixo, falaremos sobre duas das principais variações, que são: a hidrolipoaspiração e a vibrolipo.

 

Técnicas ajudam a reduzir a gordura localizada, garantindo maior qualidade de vida e a autoestima. Foto: Pixabay

 

A

vibrolipoaspiração

 

A hidrolipoaspiração é uma vertente bem semelhante a lipo convencional.

Assim, a principal diferença está na utilização de uma solução anestésica local antes da retirada de gordura.

Isso faz com que o paciente não necessariamente precise estar sob anestesia geral para poder efetuar a cirurgia plástica, o que pode ou não ser um benefício dependendo das particularidades pessoais do interessado.

A princípio, a hidrolipo — como também é conhecida —, faz parte de uma alternativa médica eficaz.

Assim como na lipoaspiração convencional, é aplicada uma solução subcutânea para facilitar a sucção da gordura, que em seguida é realizada por pequenas cânulas, inseridas por incisões no local de interesse.

Dessa forma, este é um método extremamente eficaz e que é utilizado frequentemente ao redor do mundo.

Os resultados são impressionantes.

As únicas ressalvas são as seguintes: a hidrolipoaspiração somente é indicada para pessoas que estão próximas do peso ideal, e o pós-operatório exige praticamente os mesmos cuidados da lipoaspiração convencional — inclusive os requisitos médicos são semelhantes.

 

A vibrolipoaspiração

A vibrolipo é outra alternativa a lipoaspiração convencional. Aqui, as cânulas que fazem a sucção da gordura estão conectadas a um dispositivo vibratório, que auxilia o cirurgião a remover o tecido adiposo com mais facilidade e sem a necessidade de movimentos bruscos e mais agressivos.

Ainda assim, o paciente fica sob anestesia (geral, normalmente) e também recebe as aplicações da solução de Klein, substância que auxilia a remoção do tecido adiposo.

Nesta alternativa, a gordura é removida com menos trauma, o que facilita o médico cirurgião a realizar seu trabalho sem grandes problemas ou dificuldades.

Assim, quanto ao paciente, as diferenças são pequenas.

Desta forma, o pós-operatório pode ser menos intenso (mas extremamente semelhante a lipo tradicional, com as mesmas recomendações e riscos), mas os resultados são praticamente os mesmos.

Além disso,  cabe ao seu cirurgião plástico a escolha do método, que deve ser sempre pautado no seu caso especial e nos seus objetivos.

Seja como for, saiba que estes são os únicos métodos realmente capazes de remover a gordura de forma localizada.

Aliás, não se esqueça de sempre procurar um médico com ampla experiência e com grande capacitação antes de buscar por uma lipoaspiração.

Não bastasse, lembre-se também que é preciso passar por uma bateria de exames e estar com a saúde em dia antes de se submeter a esta cirurgia.

Enfim, gostou do conteúdo de hoje sobre como remover a gordura localizada?

Comente abaixo sua opinião!

LEIA TAMBÉM: