Vida+

Desgaste pulmonar faz com que idosos sintam falta de ar

Cerca de 44% dos brasileiros têm alguma complicação respiratória; Mulheres são as mais suscetíveis

19 de novembro de 2015 - 19:14

Rodrigo Bertolino

Compartilhe

idosaFadiga, dificuldades na respiração e mal estar. Esses sintomas são corriqueiros nas vidas de muitos idosos. Quando esses quadros são provenientes de uma infecção, o estado de saúde fica mais crítico e precisa de atenções redobradas.

Esse problemas são gerados devido ao desgaste natural das células e do organismo em se defender dos vírus e bactérias com a mesma eficiência de outrora. O diagnóstico prévio torna-se essencial para uma melhora sem maiores transtornos.

O pulmão fica menos elástico no decorrer do tempo, com isso, a filtragem do ar é prejudicada. A maior dificuldade de tossir e eliminar secreções também gera incômodos aos idosos. O resultado dessas situações é o acúmulo de impurezas no órgão pulmonar.

Caso o indivíduo tenha desenvolvido hábitos como o fumo, por exemplo, há um desgaste ainda maior do pulmão. Além da complicação em filtrar o ar, a pessoa também sofre com uma fadiga mais intensa. Isso faz com que a dificuldade de respirar e – em estados mais críticos – a sensação de sufocamento aparece.

O pneumologista Waldimir Carollo explica que no verão as pessoas necessitam ter atenções especiais. “A hidratação é muito importante nessa época. A quantidade de doenças respiratórias aumenta neste calor intenso, então evitar aglomerações é benéfico. Providenciar a vacinação contra a gripe também minimiza os riscos”.

Cerca de 44% dos brasileiros têm algum tipo de problema respiratório, de acordo com o Ministério da Saúde. Alergistas afirmam que as mulheres são mais suscetíveis a desenvolver complicações deste tipo, pois os hormônios sexuais femininos interferem indiretamente nas vias respiratórias.

Doenças provenientes do coração como pressão alta também causam falta de ar. Com o músculo cardíaco fazendo mais esforço para bombear sangue, o oxigênio fornecido para o organismo resultante desse procedimento pode não ser o suficiente, ocasionando dificuldades na respiração.

Carollo afirma que as vias nasais são prejudicadas, pois o calor intenso resseca essa região do corpo. Com isso, os indivíduos que possuem patologias como rinite, asma e sinusite apresentam piora. Os idosos sentem maiores reveses, pois se cansam mais brevemente.

Doenças frequentes
Tosse: Trata-se do problema mais comum aos idosos. Gerada, em sua maioria, por infecção pulmonar. Caso o incômodo persista por mais de duas semanas, a ida ao médico se torna fundamental para que o quadro não piore.

Gripe: Também é uma infecção respiratória e é mais grave do que muitas pessoas imaginam. Cerca de 90% das mortes recorrentes pela doença são de idosos, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). As campanhas de vacinação no Brasil apresentam queda nos números de óbitos por causa da enfermidade.

Pneumonia: Infecção pulmonar ocasionada por fungos, vírus ou bactérias. É uma doença crítica para os idosos. O tratamento é longo e requer internação hospitalar. As tosses demasiadas e a falta de ar são os principais sintomas da patologia.

LEIA TAMBÉM: