ETC
Qualidade de vida

Documentário ‘Vida em Movimento’ busca soluções para combater o sedentarismo

Dirigido pelo jornalista radicado em Santos e professor universitário, Eduardo Rajabally, com argumento do educador físico Marcio Atalla, documentário estreia nos cinemas.

21 de fevereiro de 2019 - 16:55

Da Redação

Compartilhe

Na próxima segunda-feira (25), acontecerá a pré-estreia do documentário Vida em Movimento, que mostra o estilo de vida pós-moderno adotado por diferentes sociedades ao redor do mundo.

Dirigido pelo professor da Universidade Santa Cecília, de Santos, jornalista Eduardo Rajabally, o documentário foi idealizado pelo preparador físico e pós-graduado em nutrição Márcio Atalla, popular pelo quadro “Medida Certa”, do Fantástico, da TV Globo.

A pré-estreia será em um evento para convidados. Posteriormente, será exibido em salas de cinema pelo Brasil.

Por fim, em março, o Fantástico exibirá o documentário em formato de série, dividida em três episódios.

O documentário aborda como mundo enfrenta a epidemia do sedentarismo, ameaça silenciosa que ganhou força nas últimas décadas devido ao estilo de vida adotado pela sociedade, especialmente nas grandes cidades.

Famílias de várias países foram ouvidas sobre o tema. Objetivo é mostrar o impacto dos exercícios no cotidiano das pessoas em todo o mundo. Foto: Divulgação

Problema do século XXI

O ritmo acelerado da sociedade atual leva a uma ilusão de movimento.

Rajabally explica que todos estão se movimentando, porém raramente o fazem com as próprias pernas.

“Isso significa dizer que a forma como vivemos hoje em dia exclui o movimento natural do corpo, como caminhadas, subidas de escada etc. Passamos boa parte dos nossos dias sentados, em escritórios ou em nossos carros”, completa.

Muitas doenças são atreladas ao sedentarismo: obesidade, diabetes, doenças coronárias (que danificam os principais vasos sanguíneos do coração), e até câncer.

Entretanto, exercícios físicos ajudam a reduzir o risco dessas e outras doenças.

Além disso, auxiliam no tratamento.

Portanto, o objetivo do longa foi encontrar formas naturais de trazer de volta o movimento ao nosso cotidiano.

Uma maneira mais saudável de viver, que funcione também como uma espécie de medicina preventiva – algo incomum nos dias de hoje e que tem sobrecarregado perigosamente os sistemas de saúde (públicos e privados) pelo mundo.

 

Eduardo Rajabally levou 19 meses para a criação do projeto até a entrega final do documentário.

 

Cinco países

 

De acordo com Rajabally, a ideia foi proposta por Atalla em 2016.

O diretor conta que, da criação do projeto ao produto final, foram 19 meses.

A equipe visitou os Estados Unidos (Boston e Nova Iorque), Dinamarca, Finlândia, Coréia do Sul, além de São Paulo e Rio de Janeiro.

Foram entrevistados diversos especialistas ao redor do mundo.

O resultado da experiência frisa que lugares diferentes têm problemas e soluções distintos.

 

Marcio Atala (em primeiro plano) ficou envolvido diretamente no documentário, que terá lançamento nos cinemas e também em três episódios no Fantástico. Foto: Divulgação

 

Assim, na visão de Atalla, a questão principal é um paradoxo no comportamento do ser humano, um ser do movimento.

Entretanto, ao longo do processo evolutivo, o homem aprendeu a poupar e não gastar energia, devido à incerteza da oferta de alimentos.

Atualmente, a oferta de comida é completamente diferente, porém o homem age de tal forma que visa não gastar energia, de maneira instintiva.

 

Ficha técnica

Direção: Eduardo Rajabally
Ideia Original e Argumento: Márcio Atalla
Roteiro: Selma Perez, Eduardo Rajabally, Márcio Atalla e Joana Kfuri
Direção de Fotografia: Humberto Bassanelli
Montagem: Selma Perez
Texto: Daniela Garutti
Som Direto: Miquéias Motta
Música: Diogo Poças (PlugIn Estúdio)
Coordenação de Produção: Adriana Tavares
Direção de Produção: Marina CostaManso
Assistência de Direção: Joana Kfouri
Produção: BossaNova Films

Para conferir a sinopse completa, acesse o site.

 

LEIA TAMBÉM: