Primeira cirurgia robótica na Baixada abre novas possibilidades para operações | Boqnews

Santa Casa

14 DE JANEIRO DE 2022

Primeira cirurgia robótica na Baixada abre novas possibilidades para operações

Cirurgia inédita na Santa Casa de Santos vai abrir caminho para que outros pacientes possam ser operados na Baixada Santista com uso da robótica

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

A primeira operação com uso de robôs em um paciente de 66 anos que acontecerá a partir das 7 horas deste sábado (15) na Santa Casa de Santos abre um novo universo da união da robótica com a Saúde, permitindo intervenções cirúrgicas ainda com maior precisão na Baixada Santista.

O uso da robótica será empregado para o procedimento de prostatectomia radical robótica – retirada do câncer de próstata do paciente.

A expectativa é que a recuperação do homem ocorra em 24 horas.

Ou seja, ele deve ter alta já no domingo (16).

As vantagens do uso do equipamento adquirido pelo hospital, o Da Vinci Xi, permitirão novas possibilidades para outros tratamentos em várias especialidades.

É o que o destaca o médico urologista Matheus Miranda Paiva, responsável pela pioneira cirurgia na região.

Miranda é o coordenador do Projeto de Robótica da Santa Casa de Santos.

Assim, as cirurgias robóticas são procedimentos minimamente invasivos, onde braços robotizados realizam pequenas incisões nos pacientes.

E, com exímia precisão, operam com instrumentos acompanhados de uma câmera, especialmente em áreas do corpo humano com pouco espaço para o cirurgião trabalhar.

Por sua vez, o robô é controlado por médicos especializados, que manipulam o procedimento em uma mesa de comando.

Ela se chama console do cirurgião.

Experiência

Miranda participou do Jornal Enfoque – Manhã de Notícias desta quarta (12), onde falou sobre os impactos na robótica na Medicina, algo até então inédito na Baixada Santista.

Assim,  o médico explica que modelo adquirido pela Santa Casa de Santos se soma a outros 84 existentes no Brasil.

Ele tem experiência em mais de 500 operações realizadas no Brasil e no exterior.

“Nos Estados Unidos, o uso da robótica ocorre na maior parte das cirurgias”, destacou, revelando uma tendência mundial também presente em grandes centros médicos europeus.

Brasil

No entanto, no Brasil esta possibilidade ainda se limita a pacientes com recursos.

Afinal,  os custos ainda são elevados.

Porém, a tendência é da queda nos valores praticados.

Por sua vez, alguns planos de saúde já começam a cobrir tais procedimentos.

“Eles chegaram à conclusão que o pós-operatório é muito mais rápido e confortável para o paciente, o que exige menos tempo de internação”, explica.

“O cenário das cirurgias de robótica no País e no mundo tem perspectivas de barateamento dos custos”, salienta.

Portanto, os valores dependem de cada procedimento.

Por sua vez, o equipamento da Santa Casa será voltado para cirurgias na região do abdômen, pelve, tórax e cabeça e pescoço em pacientes adultos.

“É um robô bem eclético, que pode realizar diversos procedimentos”, salienta.

(Confira na falta do médico as áreas onde o robô Da Vinci Xi poderá operar).

Assim, dez profissionais do hospital em várias especialidades estão habilitados para realizar procedimentos cirúrgicos com uso do robô.

Além disso,  no próximo ano, há perspectiva do equipamento também realizar transplantes, como de rins.

Da Vinci Xi

Dessa forma, desenvolvido pela Intuitive, o sistema cirúrgico do robô Da Vinci Xi possui tecnologia de última geração, que inclui visão 3D de alta definição,

E ainda: instrumentos articulados, em formato modular e adaptável, com maior acesso anatômico, facilidade de uso e integração completa, diminuindo os impactos decorrentes dos procedimentos invasivos.

 

Confira a entrevista completa 

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.