Pandemia

Em momento delicado da pandemia, profissionais da saúde lutam para salvar vidas

Profissionais citam desgaste, mas seguem determinados na missão

01 de abril de 2021 - 18:49

João Pedro Bezerra

Compartilhe

Nilson Gambero, Camila Carneiro e Marcelo Pilnik tem uma missão em comum. Ambos trabalham na Santa Casa de Saúde de Santos, um dos principais hospitais do Brasil e atuam na linha de frente no combate ao coronavírus.
Recentemente, a situação da pandemia se agravou, o que aumentou a responsabilidade dos profissionais da saúde que são verdadeiros heróis neste momento tão complicado.

O médico Nilson Gambero, de 41 anos, que coordena as UTI´s gerais da Santa Casa e do Hospital Ana Costa destaca que a equipe médica está há mais de um ano na luta contra a Covid-19 “Nas duas últimas semanas, a situação piorou. O nosso trabalho agora é manter os profissionais motivados. Estamos lidando com o desgaste e o esgotamento’, ressaltou.

Além disso, o médico explicou que um dos motivos para a equipe médica continuar determinada no trabalho é ver os pacientes se recuperarem e voltarem para a família. Nilson ainda salienta que segue trabalhando com dedicação, mesmo com o atual cenário de pandemia.

O médico Marcelo Pilnik, de 40 anos, ressaltou que os esforços de todo os profissionais de saúde da Santa Casa, que fez o hospital registrar poucos casos de mortalidade no Pronto Socorro, tendo indicadores de mortalidade e permanência em UTI abaixo da média nacional.

Marcelo cita que não imaginava ver a situação da pandemia pior do que há um ano. “ Estamos todos muito tristes com a situação, mas apesar de todo o cansaço, ainda enxergo no olhar de todo profissional envolvido a vontade de ajudar e a certeza de que vamos vencer essa guerra”, finalizou.

Por fim, Marcelo falou que para enfrentar os desafios é preciso uma terapia e isso ele encontra em sua família.

Fisioterapeuta

Não é apenas os médicos que salvam vidas. A equipe de fisioterapia tem papel fundamental na recuperação dos pacientes com Covid-19. Alguns necessitam de um acompanhamento ainda mais longo por conta das sequelas. A fisioterapeuta Camila Carneiro explica que todo o processo de reabilitação é feito pelas profissionais que também ajudam no uso dos ventiladores mecânicos.

“A sensação de poder ajudar as pessoas é a melhor recompensa que temos. Ver a recuperação de pacientes graves é gratificante” salientou. Por fim, ela também citou a tristeza em ver a perda de algumas pessoas, citando o abalo emocional e a sensação de impotência em algumas ocasiões.

Nilson Gambero, Camila Carneiro e Marcelo Pilnik estão trabalhando arduamente nesta pandemia para salvar vidas/ Fotos: Arquivo Pessoal

LEIA TAMBÉM: