Volta às aulas

Início do ano letivo requer cuidados especiais com o bem-estar dos estudantes

Mochila pesada e má alimentação podem trazer problemas de saúde para crianças e jovens a médio e longo prazos

03 de fevereiro de 2020 - 12:19

Ana Carol

Compartilhe

O início das aulas é um período que requer atenção dos pais e responsáveis quando se trata do bem-estar dos estudantes.

Muitas vezes, as crianças e jovens tomados pela ansiedade querem levar todo o material novo, mas o excesso de peso na mochila pode ser prejudicial à saúde.

A recomendação é que a mochila tenha, no máximo, 10% do peso corporal da criança. Assim, por exemplo, uma pessoa de 40 quilos não deve carregar mais do que 4 quilos de carga.

Dores nas costas e alterações posturais são indicadores iniciais de que algo está errado, como exemplifica o fisioterapeuta e professor universitário José Luiz Portolez.

Para evitar excessos, ele indica pesar a mochila em casa.

Problemas

O profissional explica que as consequências mais severas do mau uso de mochilas podem aparecer ainda na infância, porém é mais comum a longo prazo.

Os problemas na coluna vertebral podem surgir ou se agravar devido ao peso excessivo carregado pelos jovens.

Entre as alterações posturais, Portolez cita a escoliose – desvio na coluna; hiperlordose – aumento da curvatura da região lombar, e até hipercifose – curvatura voltada para frente, gerando uma posição corcunda.

Portolez destaca que o hábito de carregar a mochila por uma alça só ou muito esticada concentra o peso em um lado do corpo, o que a médio e longo prazos pode desencadear a escoliose – ou agravar o nível da patologia. A diferença entre a altura dos ombros torna-se perceptível.

O especialista indica o uso das duas alças ao mesmo tempo. Entretanto, ciente de que os estudantes costumam usar somente o lado dominante, ele aconselha variar para balancear o peso.

O diagnóstico desses problemas é clínico e o tratamento é feito com fisioterapia, além da indicação de atividades físicas. Em casos extremos, é feito o uso de colete ortopédico ou intervenção cirúrgica.

Em relação à mochila de rodinhas, Portolez indica variar também o lado de puxá-la. Evitando, assim, a sobrecarga em um lado do corpo.

Alimentação

Outra questão que pais e responsáveis enfrentam é em relação à alimentação na escola, especialmente no período de altas temperaturas. A nutricionista Nayara Cavalcanti salienta que alimentos sensíveis ao calor devem ser evitados (ver quadro).

As frutas, água de coco e sucos naturais promovem frescor e merecem preferência. Nayara aconselha o consumo de frutas com casca devido ao valor nutricional – o corte pode fazer com que estraguem mais rápido.

Um desafio, no entanto, pode ser a negação da criança sobre os alimentos. Neste caso, a nutricionista indica estimular os sentidos, apresentando os alimentos de forma lúdica, explicando os benefícios de cada um.

Nayara enfatiza que não deve haver castigo, chantagem ou punições físicas ao longo do processo, e as recusas devem ser aceitas.

A nutricionista disponibilizou receitas saudáveis para aproveitar este período. Confira sugestões para manter-se hidratado ou conheça coxinhas de forno.

 

volta às aulas saúde

Arte: Mala

LEIA TAMBÉM: