Nando Santos / Arquivo

Santos

23 DE AGOSTO DE 2016

Nível do mar pode aumentar 18 centímetros até 2050, aponta estudo

De acordo com um estudo realizado em parceria com pesquisadores internacionais, até 2100 o nível do mar deve elevar 36 centímetros

Por: * Com informações da Agência Fapesp
Da Redação

O nível do mar de Santos pode aumentar 18 centímetros até 2050. Este fato foi constatado há um ano, por meio de um estudo realizado por pesquisadores do Centro de Monitoramento de Desastres Naturais (Cemaden), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Instituto Geológico de São Paulo, em  parceria com profissionais da University of South Florida, dos Estados Unidos, do King’s College London, da Inglaterra, e técnicos da Prefeitura Municipal de Santos.

O estudo foi apresentado na cidade no 1º Workshop do Projeto Metrópole de Santos, em setembro de 2015. Os pesquisadoras ressaltaram a elevação do nível do mar e os impactos econômicos até 2100, já que segundo a pesquisa, até 2100, o mar de Santos deve elevar 36 centímetros.

Em Santos, o número de ressacas teve um grande aumento desde o final da década de 1990. No último domingo (21), o fenômeno inundou a Ponta da Praia, causando grandes estragos. (Confira no vídeo abaixo).

“Nessa situação de nível do mar em elevação, com o número de ressacas, as pessoas começam a ver os impactos desses processos que já estão acontecendo na região da Ponta da Praia”, ressalta a pesquisadora do Instituto Geológico, Celia Regina de Gouveia Souza, em entrevista à Agência Fapesp.

>           Ressaca na Ponta da Praia foi a pior dos últimos 12 anos

O estudo ainda apontou que se não forem realizadas medidas de adaptação, as inundações podem causar prejuízos bilionários à cidade.

Veja as entrevistas com os pesquisadores no vídeo da Agência Fapesp:

 

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.