prefeito de Guarujá, Valter Suman,

Clima de festa?

10 DE AGOSTO DE 2021

Prefeitos da Baixada decidirão em conjunto se cidades farão ou não Réveillon

Prefeitos se reunirão nas próximas semanas para avaliar se as cidades da Baixada Santista farão queima de fogos no Réveillon.

Por: Fernando De Maria

Enquanto capitais como Salvador e Rio de Janeiro já discutem abertamente o início dos preparativos para o Réveillon 2022, na Baixada Santista o tema não será decidido de forma isolada.

Pelo menos este é o entendimento dos prefeitos, conforme esclarece o de Guarujá, Valter Suman.

“Nós deveremos tomar uma decisão colegiada”, explica o governante, também médico.

Suman diz que toda a decisão levará em conta os números da pandemia.

Particularmente, ele não acha que seja o momento para comemorações e aglomerações.

Mesmo com o avanço da vacinação.

“Como médico, não creio que temos clima ideal para festividades. Precisamos ter muita calma. Mas qualquer decisão será coletiva”, antecipa.

Ele participou do Jornal Enfoque -Manhã de Notícias nesta terça (10).

Cruzeiros marítimos

Além disso, Suman tem o mesmo raciocínio em relação aos cruzeiros marítimos.

Somente na última temporada, a estimativa é que pouco mais de R$ 320 milhões deixaram de circular na região.

A Anvisa negocia com a Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Clia Brasil).

Assim, a entidade pede pela volta dos cruzeiros ainda nesta temporada.

Por sua vez, pacotes, alguns já esgotados, sinalizam o início das viagens a partir da primeira semana de novembro.

Portanto, a decisão deverá ser tomada até o final deste mês.

Aliás, o Porto de Santos é o maior terminal de embarque e desembarque de passageiros do País.

“Eu não vejo ainda condições (da realização de cruzeiros), mesmo com população vacinada, exceto se houver extremo rigor sanitário”, salienta.

Nos Estados Unidos, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças exige que as embarcações comprovem que 95% dos passageiros e 95% da tripulação estejam vacinados para operar livremente.

Aeroporto

Indagado sobre as obras do aeroporto regional, Suman salientou que o contrato firmado com a Infraero, do Governo Federal, tem sido cumprido e realizações estão sendo feitas, lamentando apenas a burocracia.

Por sua vez, o prefeito, que deixou o PSB migrando para o PSDB, disse que, caso seja necessário, poderá colocar em discussão as discussões em pauta sobre o aeroporto com o Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp).

Dessa forma, no mês passado, 22 aeroportos foram à leilão. Nenhum da Baixada Santista.

“Todas as portas estarão abertas da mesma forma”, disse sobre a implantação do aeroporto regional.

Além disso, o prefeito também avaliou a proposta de implantar cobrança equivalente a R$ 18,00 – valores atuais – para acesso ao Mirante das Galhetas ou Mirante da Campina, ambos recém reformados, com verbas municipais e da União.

Assim, o montante servirá, segundo o prefeito, para custear a manutenção dos pontos turísticos.

Moradores da cidade, idosos e crianças pagarão 50%.

A sessão de hoje (10) da Câmara já votou a proposta.

Política

Não bastasse, Suman também explicou os motivos que o levaram a deixar o PSB e migrar para o PSDB em razão da aproximação do governo do Estado com os anseios da população de Guarujá.

“O governador João Doria e o vice Rodrigo Garcia tem ajudado muito o município”, salienta.

Aliás, ele disse que saiu do PSB pela porta da frente, sem ressentimentos.

“A política é dinâmica. Sempre honrei a sigla”, lembra.

“Ressentimento e mágoas são venenos para nossas almas”, define.

No entanto, a despeito da sua posição, o ex-governador Marcio França (PSB), uma das principais lideranças do partido, não gostou da saída de Suman da legenda.

Além disso, França fez sérias críticas à saída do prefeito durante sua participação no Jornal Enfoque – Manhã de Notícias. (assista ao vídeo abaixo).

“Isso é uma escolha que cada tem que fazer”, dispara, lamentando a escolha do prefeito por se filiar ao PSDB.

Outros temas

Suman também enfatizou que o governador João Doria (PSDB) tem plenas condições de ser a sonhada terceira via na corrida presidencial na disputa com o presidente Jair Bolsonaro e o ex-Luiz Inácio Lula da Silva.

Além disso, confirmou que seu filho, o médico cardiologista Lucas Mota Suman deverá sair candidato nas próximas eleições.

No entanto, ainda não definiu o partido nem para qual cargo.

Além disso, o prefeito também falou sobre segurança pública, Plano Diretor, pandemia, vacinação, estádio municipal Antonio Fernandes, Guaibê.

E ainda: os problemas decorrentes das constantes filas das balsas, especialmente após o acidente do navio Cap San Antonio.

Dessa forma, passados mais de dois meses não existe qualquer alteração em relação ao embarque e desembarque de veículos e ciclistas, afetando diretamente o tempo de espera na travessia de balsas.

Assim, a a tendência é piorar a medida que a primavera e o verão se aproximam, atraindo cada vez mais turistas.

 

Confira o programa completo

 

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.