Dr. Bruno Pompeu

É depressão?

28 de junho de 2012 - 20:46

Compartilhe

Pacientes de várias idades procuram médicos, ora especialistas, ora generalistas, com queixas que sugerem quadros depressivos. No ímpeto da ajuda, medicamentos são prescritos e, por vezes, nada de melhora. Meses de tentativas, acertos de doses, muita conversa, e nada. 
Muitas vezes isso ocorre porque há uma série de doenças cujos sintomas podem simular um quadro de depressão. As doenças da tiróide são um exemplo. O baixo funcionamento da glândula pode implicar quadros depressivos leves ou moderados, bastando uma correção dos hormônios para o restabelecimento do paciente.
Alguns medicamentos para hipertensão, em determinadas pessoas, também podem gerar quadros de profunda apatia e tristeza, o que pode ser corrigido com a suspensão do remédio. Outro caso são as doenças da glândula suprarenal, que podem insidiosamente debilitar a pessoa, deixando-a apática, sem forças, sensação de pressão baixa e mal estar generalizado enganando familiares e sugerindo uma depressão grave.
Fases avançadas de sífilis, doenças do metabolismo hepático, doenças renais crônicas, tumores cerebrais de comportamento lento e até deficiência de vitaminas – principalmente as do Complexo B – também podem abrir um quadro insidioso de tristeza, fadiga e alteração do sono, induzindo falsamente à depressão e a uma prescrição indevida de medicamentos.
Por todos esses motivos, protocolos bem elaborados por especialistas tornam-se fundamentais para o correto diagnóstico do distúrbio psiquiátrico. Para esta medicina é preciso uma boa remuneração do profissional, assim como planos de saúde generosos e que de fato dêem amparo ao paciente. Além disso, a massa SUS, miserável, fraca, doente, carente, marginalizada, precisa de triagem adequada, boas UBS, bons clínicos, suporte laboratorial e profissionais da saúde bem pagos. Acalentar gente com sofrimento neuropsiquiátrico com dinheiro é fácil. Duro é a população carente com suas ideias distorcidas e sem encontrar saídas para seu sofrimento mental.
Senhores detentores do poder, acordem! A situação da saúde é preocupante e nosso povo ainda não se deu conta de sua força e poder.