Panorama Regional
Fernando De Maria

Jeitinho brasileiro

19 de abril de 2014 - 14:00

Compartilhe

Faltando pouco mais de 50 dias da Copa, até quem nutria esperança de que estaria nascendo um novo Brasil em razão do evento já reconhece o risco de promovermos um grande fiasco mundial. Afinal, nossos governantes acordaram tarde para a preparação do evento, apesar da decisão sobre o torneio ser conhecida desde 2007. Como sempre, o jeitinho brasileiro prevaleceu.

A sociedade assiste a correria para tentar recuperar o tempo perdido. Para agilizar, sobram as licitações de emergência, abrindo brechas para malversação do dinheiro público pelo País afora.

 

O estádio de estreia da Copa, a Arena de São Paulo, teve a entrega simbólica na última semana, mas as instalações provisórias, conforme determinação da Fifa, ainda estão longe de terminar. Na prática, muito precisa ser feito, assim como as obras de acesso ao local. Isso ocorre justamente no principal estado da Federação. Imagine no resto do País!

A Baixada Santista também entra neste cenário pelo fato de abrigar três seleções estrangeiras: México e Costa Rica, que ficarão em Santos e usarão as instalações do Santos FC para treinos durante a primeira fase pelo menos, e a da Bósnia, que optou por Guarujá e treinará no estádio municipal Antônio Fernandes.

Santos também corre contra o tempo para entregar o Museu Pelé no prazo, que apesar de ser gerenciado por uma organização social, teve injeção de recursos públicos no valor superior a R$ 12 milhões. Aguarda-se saber qual será a contrapartida para o cidadão, cujos ingressos do museu custarão R$ 20, como já divulgado na imprensa.

Diante da demora nas definições, a prefeitura de Santos correu atrás do prejuízo e não passar vexame para buscar recursos e finalizar a obra. Obteve R$ 2 milhões do Governo do Estado e mais R$ 9,8 milhões do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), dinheiro, aliás, repassado apenas na segunda (14). Como o prazo é apertado, a prefeitura começou a fazer licitações desde o início do ano para agilizar o processo.

Já foram contratados R$ 7,5 milhões e outras três licitações aguardam abertura do pregão para esta semana, como para fornecimento e instalação de monitores e serviço de assentamento de pastilhas de vidro. Quem já esteve à frente de obra, sabe o quanto os prazos raramente são cumpridos…

Em Guarujá, o edital de licitações para compra de equipamentos para o estádio, como aparelhos de fisioterapia, ar condicionado, móveis, só encerrarão no início de maio, um mês antes da chegada da seleção. Quem conhece licitação sabe que é comum as empresas recorrerem e o tempo se esvair…

Quanto às obras do Outeirinhos para realinhamento do cais junto ao terminal de passageiros o cenário é preocupante. Dois navios estarão atracados: um de menor porte, o Monarca, que ficará em frente ao terminal, e o MSC Divina, com mais de 4 mil passageiros, que, a princípio, ficará no armazém 32. Há a possibilidade da embarcação atracar no trecho pronto do cais, porém, para tal, um terminal vizinho terá que deixar de funcionar durante os quatro dias que o transatlântico estiver atracado com turistas. Afinal, estamos no Brasil…