Arte de Conviver
Laercio Garrido

Professor universitário e escritor.

Motivação dos desafios

29 de novembro de 2012 - 17:33

Compartilhe

Os seres humanos são voltados naturalmente para os desafios e rejeitam o tédio, a passividade e a monotonia. Estabelecer desafios e lutar com persistência para vencê-los energiza as pessoas alimentando suas almas com os sentimentos de satisfação e autorealização. Realizar sonhos e conquistar objetivos trazem orgulho e elevam a autoestima.
A vida sem desafios, para a maioria dos indivíduos, não merece ser vivida e  torna-se um fardo difícil de carregar. Quando alguém se aposenta, por exemplo, e não tem uma ocupação para sentir-se útil, uma razão pela qual lutar, provavelmente será vítima do estresse ou depressão. 
Pesquisas têm demonstrado que a característica comum das pessoas de sucesso é a fixação de objetivos factíveis seja no campo pessoal ou profissional. No entanto, a determinação de desafios deve ser realizada com muito cuidado para que eles não sejam impossíveis de atingir ou fáceis demais. O ser humano não se motiva quando percebe a impossibilidade de atingir certos objetivos e desanima chegando a resultados piores do que poderia alcançar. Por outro lado, vitórias sem obstáculos que não exigem esforço geram insatisfação.
O mesmo objetivo pode provocar entusiasmo numa pessoa e estresse em outra. O nível de dificuldade do desafio deverá ser compatível aos interesses e competências do envolvido.O gestor deve sempre se perguntar se está proporcionando trabalhos desafiadores para o seu time ou deixando-o submergir num mar de rotinas e processos burocráticos.
Outro aspecto a considerar refere-se à desmotivação inerente às metas de longo prazo. Muitas vezes elas provocam desânimo mesmo quando atingidas, pois as pessoas se esquecem que estão lutando por um desafio fixado há muito tempo. A meta de longo prazo deve ser transformada em diversas metas de curto prazo. 
Desta forma, as pessoas terão momentos de satisfação para cada etapa vencida de um projeto e não somente na sua conclusão.O autor, por exemplo, deve estabelecer um desafio para o término de cada capítulo do seu livro. Desta forma seu caminho será muito mais gratificante do que a definição de um único desafio para o encerramento da obra. 
Existem algumas regras que devem ser seguidas na definição e acompanhamento dos objetivos. 
Estabelecer metas específicas, mensuráveis, desafiadoras e viáveis, que não integram as rotinas de trabalho.  Desenvolver ou solicitar aos profissionais a estruturação de um plano de ação para cada meta. Dar feedback durante a implementação do plano de ação, mantendo um clima de orientação e apoio e não de poder e controle negativos. Proporcionar recompensas financeiras (ou não) pela consecução de metas. A conquista de um desafio nem sempre é positiva. Dependendo da forma como ele foi estabelecido e acompanhado pelo responsável, os sentimentos dos envolvidos podem ser de decepção ou indiferença.