Futuro presidente do Legislativo, Cacá Teixeira fala de planos para mandato | Boqnews
Vereador Cacá Teixeira (PSDB), futuro presidente da Câmara de Santos para o biênio 2023/24. Foto: Carla Nascimento

Câmara

09 DE NOVEMBRO DE 2022

Futuro presidente do Legislativo, Cacá Teixeira fala de planos para mandato

Futuro presidente da Câmara, Cacá Teixeira, falou da importância de se garantir maior protagonismo dos vereadores.

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Presidente eleito da Câmara para o próximo biênio (2023/24), o vereador Cacá Teixeira (PSDB) pretende ampliar a divulgação dos trabalhos desenvolvidos pelos vereadores.

“Temos que dar maior protagonismo”, antecipou.

“Bons projetos têm sido apresentados e precisamos difundir a divulgação para maior conhecimento da população”, enfatizou.

Assim, ampliação das atividades da TV Legislativa e até a possibilidade das sessões serem transmitidas pelo rádio não estão descartadas.

Além disso, o vereador enumera alguns pontos que podem ser aprimorados, como discussão dos futuros subsídios para os edis, congelados há quase uma década.

E ainda: a revisão do regimento interno com alterações na Lei Orgânica do Município.

Não bastasse, adiantou que deve chamar os candidatos que passaram no concurso público do Legislativo para preenchimento das vagas.

Portanto, ele participou do Jornal Enfoque – Manhã de Notícias desta quarta (9).

Eleição

Portanto, Cacá se elegeu com 17 dos 21 votos dos vereadores em meio a uma tentativa de racha entre os edis, o que acabou não ocorrendo.

“Nosso grupo estava sendo construído há 1 ano e meio e que acabou fechando com meu nome, quando o Fabrício (Cardoso), que tem um futuro promissor, abriu mão da sua candidatura”, salientou.

Assim, Cacá só não obteve os votos de Rui de Rosis (União), Benedito Furtado (PSB), Sérgio Santana (PL) e Débora Camilo (PSOL).

Dessa forma, excluindo Débora, os demais tentaram montar uma outra chapa, tendo à frente o nome de Ademir Pestana (PSDB), mas sem sucesso.

Por sua vez, a maior parte do grupo acabou aderindo à chapa de Cacá Teixeira.

Além do vereador, integram a futura Mesa Diretora a partir de 1º de janeiro, os seguintes edis:

– Roberto Oliveira Teixeira, o Pastor Roberto (Republicanos), como 1º vice-presidente;

–  Francisco Nogueira, o Chico da Settaport (PT), como 2º vice-presidente;

– Lincoln Reis (PL) no cargo de 1º secretário;

– João Neri (PSD) como 2º secretário.

Assim, vereador Cacá Teixeira (PSDB) participou do Jornal Enfoque – Manhã de Notícias desta quarta. Foto: Carla Nascimento

Noivado?

Aliás, a presença do vereador Francisco Nogueira na chapa da futura mesa diretora pode sinalizar um ‘noivado’ para as eleições de 2024.

Afinal, um eventual acordo PSDB-PT contra uma possível candidatura apoiada pelo atual presidente Jair Bolsonaro, que deixará o cargo no final de dezembro, e pelo governador Tarcísio de Freitas, não estaria descartada.

“Na política, não podemos dizer nem sim, nem não. Nós compomos e fizemos nossa parte”, adiantou.

Por sua vez, Cacá também destacou o futuro do PSDB, com o surgimento de novas lideranças dentro da legenda, como o ex-prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (o deputado do PDSB mais votado no Brasil) e o governador eleito Eduardo Leite, o primeiro do Rio Grande do Sul a ser reeleito.

“Temos que reunir os poucos que ficaram no partido para conversar e ver os rumos da legenda”, enfatizou o vereador, na agremiação quase desde a sua fundação.

Líder do governo

Líder do governo na Câmara até o final do ano – após a renúncia de Rui de Rosis (União) do cargo -, Cacá aposta em algumas ações priorizadas nesta reta final dos trabalhos legislativos deste ano.

Portanto, uma delas será a revisão da Lei de Uso e Ocupação do Solo, com previsão de ser votada até o final do ano.

Outra, também polêmica, refere-se à proposta da Prefeitura em conceder abono aos mais de 11 mil servidores 

Sindicatos e servidores têm protestado contra a segunda proposta apresentada pela Prefeitura, que prevê o pagamento de R$ 1 mil de abono para os funcionários da ativa.

Por sua vez, outro projeto, sem restrições, prevê elevação em 20% da cesta básica e do vale-alimentação.

Servidores e sindicalistas exigem que aposentados e pensionistas também tenha direito ao mesmo valor a ser pago aos da ativa.

No entanto, Cacá informou que a Procuradoria Geral do Município analisa se o valor a ser repassado para aposentados e pensionistas sairia dos cofres da Prefeitura ou do Iprev – Instituto de Previdência Social.

“Precisamos ver se o pedido tem respaldo legal”, salienta.

Assim, a certeza é que a proposta não irá à votação antes da quarta-feira (16), quando ocorrerá audiência pública na Câmara, a pedido do vereador Francisco Nogueira (PT), para tratar a questão.

Programa completo

Além disso, no programa, Cacá também falou sobre o futuro da antiga escola Acácio de Paula Leite, que necessita de amplas reformas para abrigar a Escola do Legislativo, e outros desafios.

Confira o programa completo.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.