História

Setur promove visita guiada à garagem do bonde nos 152 anos da ferrovia

As visitas acontecerão neste final de semana das 11h às 16h

15 de fevereiro de 2019 - 16:46

Da Redação

Compartilhe

Os 152 anos da Estrada de Ferro Santos-Jundiaí serão comemorados neste sábado (16) e domingo (17), com visita monitorada gratuita, das 11h às 16h, à Garagem do Bonde Roberto M. Khamis (Largo Marquês de Monte Alegre, Centro Histórico).

O espaço fica no Armazém 12-A, a última estrutura de ferro do porto, tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Santos (Condepasa).

Na garagem, estão expostos três carros históricos – um deles chegou a transportar presidentes da República.

É preciso retirar senha no próprio dia da visita, disponível no Museu Pelé, em frente à garagem.

Serão seis saídas por dia, com intervalo de 1h, e cada grupo terá, no máximo, 30 pessoas.

Os carros, que chegaram a Santos no final do ano passado, pertenciam à ferrovia São Paulo Railway e foram doados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), responsável pela guarda.

O carro Presidencial, de1909, é o mais luxuoso.

Com 16 poltronas estofadas e banheiro, era utilizado para viagens inaugurais e com autoridades – ele transportou ex-mandatários do País como Getúlio Vargas, Afonso Pena e Washington Luís.

Já o carro Administrativo, de 1913, era utilizado em viagens de inspeção por técnicos e engenheiros ferroviários.

Possui uma cauda panorâmica (de vidro) e capacidade para 23 pessoas.

O carro Buffet Pullman (1922) foi usado pela São Paulo Railway até 1947.

Inclusive nas viagens regulares entre Santos e a Capital.

Com capacidade para 14 pessoas, tem cozinha com bar e banheiro.

Ferrovia

Contudo, a primeira estrada de ferro em solo paulista, inaugurada em 1867, a São Paulo Railway, conhecida como ‘inglesa’, foi construída graças a Irineu Evangelista de Souza, o barão de Mauá.

A Estação do Valongo, no Centro Histórico, edificada para atender a essa linha, foi a primeira a ouvir o apito de um trem no Estado de São Paulo.

Interligando Jundiaí a Santos, a ferrovia transportou, até os anos 1930, café e outras mercadorias para embarque no porto. Além de passageiros.

Em 1946, com o fim da concessão governamental, a estrada passou para a União sob o nome de Estrada de Ferro Santos-Jundiaí.

O nome prevalece até hoje, embora nos anos 1970 tenha passado a integrar a Rede Ferroviária Federal S.A; em 1997, sido entregue à concessionária MRS, responsável até hoje pela linha.

Em 1995, foi extinto o tráfego de passageiros de longa distância.

A Estação do Valongo funcionou até 30 de novembro de 1995.

No entanto, acabou foi desativada com a chegada do último trem de passageiros.

Depois de anos de abandono, em janeiro de 2004 foi terminada a restauração do prédio da estação.

Assim, passando passou a abrigar, nesse mesmo ano, a Secretaria Municipal de Turismo.

Desde 2012, o prédio também é sede para o Estação Bistrô Restaurante-Escola, que funciona no térreo.

LEIA TAMBÉM: