Coluna 3
Jairo Sergio de Abreu

Samba do Crioulo Doido

Os atritos públicos entre os novos ministros do governo Bolsonaro, a desaprovação das contas da Prefeitura de Santos de 2016 pelo Tribunal de Contas do Estado e outras informações de bastidores na coluna política mais bem informada da região, com o jornalista Jairo Sergio.

11 de janeiro de 2019 - 20:20

Compartilhe

Samba do crioulo doido I

Criada em 1976, a música Samba do Crioulo Doido, dos Demônios da Garoa, retrata o atual cenário político.

Afinal, a velocidade com que novas medidas são anunciadas pelo governo Bolsonaro impressiona.

Sem uma estrutura de comunicação, a cada momento uma novidade surge, ganhando as redes sociais, provocando polêmicas e atritos desnecessários, como ocorreu com os ministros Ônix Lorenzoni e Paulo Guedes.

 

 

Samba do crioulo doido II

A mais recente envolve a ministra Damares Alves, da Mulher, Família e Direitos Humanos, e o da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, a respeito da Teoria da Evolução, criticada pela ministra pelo fato do tema ter ganho espaço nas escolas “em razão dos cientistas”.

Pontes, por sua vez, refutou a colega.

Samba do crioulo doido III

Até o pastor Silas Malafaia (foto acima) deu pitacos no twitter.

“Um aviso ao ministro Marcos Pontes sobre a Evolução: Se (ela) fosse verdade comprovada, se chamaria lei da evolução. As leis da ciência são verdades comprovadas que não mudam. As teorias são verdades relativas que podem mudar a qualquer hora”.

Malafaia promoveu o casamento do presidente Jair Bolsonaro com a esposa, Michelle,

 

 

Retaliação

A determinação do governo Doria em cortar convênios estaduais firmados no final do governo Marcio França, impactando especialmente Guarujá, São Vicente e Santos, mostra que as picuinhas políticas se sobrepõem às necessidades da população.

 

Foto: Divulgação

Reprovado

Em um extenso relatório de 36 páginas, o Tribunal de Contas do Estado rejeitou as contas da prefeitura santista de 2016.

O parecer desfavorável decorre de várias situações.

Especialmente no tocante ao descompasso entre receitas e despesas, com aumento significativo do déficit municipal.

 

Insolvente

Em um trecho, o órgão informa que o Município se mostrou “insolvente” em relação à dívida de curto prazo, na medida em que, na ocasião, a cada R$ 1,00 de dívida havia apenas R$ 0,40 para quitação.

Ou seja, eram R$ 159 milhões disponíveis para um passivo de R$ 401,5 milhões.

 

Herança no azul

O Tribunal de Contas revela que houve deterioração das contas públicas.

Segundo o órgão, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) assumiu em 2013 com caixa positivo de R$ 181,4 milhões deixado pelo seu antecessor, João Paulo Papa.

“Mas, após sucessivos déficits orçamentários terminou seu mandato com uma dívida, até então inexistente, de R$ 147.873.623,74”.

 

Vai recorrer

Em sua defesa, a Prefeitura apontou os investimentos realizados em saúde e educação.

Além disso, a grave crise econômica do País, que afetaram os cofres municipais.

A Administração recorrerá da decisão.

Isso dentro do prazo legal estabelecido para o reexame das contas, de 15 dias úteis contados a partir de 20 de janeiro.

 

Cobrindo férias

Enquanto aguarda ser nomeada para o gabinete de um (a) parlamentar eleito (a), a esposa de uma pessoa que ocupou (a) cargos de destaque na Administração cobre férias de servidores comissionados.

 

Vale a pena?

A sensação térmica de 48ºC na última semana em Santos, em razão do calor exalado dos prédios e escapamentos dos carros, será cada vez mais frequente.

Urbanistas explicam que a nova Lei de Uso e Ocupação de Solo ampliou o potencial construtivo contribuindo para esta triste realidade.

 

Quem responde?

Será…
que todos os militantes petistas concordam com a posição da presidente do partido, Gleisi Hoffmann, em ‘marcar presença’ na questionada posse presidencial de Nicolás Maduro na Venezuela?

 

Frase

 

“O conflito que a ordem impõe: quando se multiplicam os pontos de vista nasce a desordem.”

Ana Hatherly – Escritora e Artista Plástica