Política

Qual é a diferença entre Esquerda e Direita?

Esquerda, direita, centro-esquerda, centro, centro-direita. Enfim, são vários os termos para analisar o perfil ideológico dos partidos. Confira a análise do professor Jefferson Dionísio da Silva

24 de setembro de 2018 - 19:23

Jefferson Dionísio da Silva (*)

Compartilhe

 

Em primeiro lugar, “ser de esquerda” não significa “ser dos pobres”, e “ser de direita” não significa “ser dos ricos”.

Historicamente, os termos surgiram porque, na Revolução Francesa, os representantes das camadas mais pobres sentavam-se à esquerda das assembleias, enquanto os representantes das elites dirigentes e do clero, à direita.

São duas formas diferentes de entender política e de governar, e essas formas não são sinônimas. Neste texto, expressarei de modo introdutório, ambas visões.

Grosso modo, os partidos e ideologias que se identificam como “direita”, entendem que o comércio deve ser livre, e que o governo não deve interferir-se demasiadamente nos assuntos da economia, ou seja; a função do governo é governar: manter a ordem e a estabilidade social, prendendo os infratores da lei e fazendo a manutenção do corpo legislativo nacional (as leis) para o progresso contínuo do país.

A função do Estado não é administrar empresas, cuidar de grandes indústrias, ou fornecer serviços, além dos básicos, resumindo-se em governar, apenas. Essa teoria é conhecida por “estado mínimo”.

A partir da “minimização” do Estado, este é mais competente e poderá governar com mais rigor e qualidade.

Os simpatizantes da Direita entendem que o capitalismo é autossustentável, e que uma interferência nos rumos da economia, pode refletir em consequências negativas, como o desemprego e crises.

Assim, para a geração de emprego, a política deve apoiar as grandes empresas multinacionais, que fazem a economia crescer e a pobreza ser erradicada.

 

Conservadorismo

Além disso, é comum na Direita o “conservadorismo”, que consiste na preservação dos valores sociais e tradições vigentes.

A “Família” é sempre assunto entre os direitistas, que entendem a Família como ela tradicionalmente tem sido.

No Brasil, os partidos de Direita mais influentes são: PP, PRTB, DEM, e PRP. Geralmente, os partidos dessa ideologia utilizam a cor azul em suas campanhas e logotipos.

Por outro lado, os partidos de esquerda baseiam-se na tese que a política deve abranger os menos favorecidos, e por isso o governo deve criar programas sociais para a erradicação da pobreza e minimização das desigualdades sociais.

 

Esquerda

Os partidários da esquerda entendem que a riqueza deve ser melhor distribuída dentro de um país, para que todos, ricos e pobres, tenham os mesmos direitos garantidos e as mesmas oportunidades na vida.

Para a esquerda, é primordial interferir na economia para evitar que ela acabe favorecendo os maiores detentores do dinheiro.

Os maiores partidos de esquerda no Brasil são: PDT, PSB, PCdoB, PSOL e PT. Os partidos de esquerda utilizam a cor vermelha em sua campanhas e seus logotipos.

Os partidos de “centro” são aqueles que entendem que a política pode ser feita a partir das ideologias de esquerda e direita.

São conhecidos porque têm a capacidade de negociar entre os partidos de diferentes ideologias, entre os partidos que estão governando e os que são minoria no governo.

 

Centro-esquerda e centro-direita

Há partidos que são de centro-esquerda e centro-direita.

Dependendo a situação econômica e social do país, o partido poderá escolher um lado que considerará melhor, e apoia-lo-á.

Alguns partidos de centro são: PTB; Partido Verde; MDB; PSDB; Solidariedade e Rede Sustentabilidade.

Antes de finalizar, é recomendável que se busque aprofundamento nas ideologias, lendo artigos mais profundos e filósofos importantes na área da política.

Por exemplo: Noberto Bobbio e Adam Smith, que são imprescindíveis para um conhecimento basilar desta importante matéria.

Vote bem, e consciente!

 

(*) O autor é professor da rede estadual de ensino, com atuação em São Vicente