É tempo de comemorar, mas com cuidados na alimentação | Boqnews
Foto: Divulgação

Vida +

05 DE DEZEMBRO DE 2022

É tempo de comemorar, mas com cuidados na alimentação

Nutricionista dá dicas de como aproveitar o melhor das festas de fim de ano

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

As festas de fim de ano estão chegando e algo é tão presente quanto o peru, o panetone e os presentes: os exageros.A fartura na mesa acaba fazendo com que as pessoas comam e bebam demais, sem projetar as consequências dessa atitude.Por essa razão, a nutricionista Giovanna Canno traz nove dicas fundamentais para aproveitar as festas da melhor forma.

1 – O QUE VALE A PENA COMER

“Você não precisa deixar de aproveitar todas os pratos que são servidos. Porém, a dica é sempre refletir em relação a quais pratos realmente valem a pena. Eu aconselho os meus pacientes a preferirem comidas típicas que são desse período. Um exemplo: chocolate a gente pode comer o ano inteiro. Porém, um prato tradicional de Natal dificilmente você vai encontrar em outra ocasião. Além disso, nada de provar os alimentos e, depois, se arrepender. Comer se lamentando não mudará em nada a maneira como os nutrientes serão absorvidos pelo corpo. Então, aproveite para se deliciar, mas sempre de maneira consciente. Qualquer exagero pode trazer problemas lá na frente”

2 – NADA DE JEJUM

“Não faça jejum o dia inteiro para chegar com muita fome nas confraternização e festas e, desta forma, comer mais do que precisa. Sempre faça um lanchinho antes. Ir em eventos com fome pode não ser a melhor escolha. Ao chegar lá, é muito grande a chance de você acabar comendo mais do que gostaria. Se você manter o seu planejamento alimentar antes de ir para a festa provavelmente você consiga comer menos nesse momento e, assim, você vai sair menos da sua dieta”.

3 – PEGUE LEVE NAS OUTRAS REFEIÇÕES

“Se você sabe que vai acabar comendo um pouquinho mais à noite, minha terceira dica é para você pegar mais leve nas outras refeições. Nesse período festivo, o ideal é a gente encontrar o equilíbrio.

Quando você já sabe que vai comer comidas mais gordurosas no evento à noite, por exemplo, prefira alimentos mais leves e saudáveis nas outras refeições. Inclua legumes, verduras e frutas para manter os nutrientes em dia e ter mais saciedade, sem pesar tanto nos carboidratos e nas gorduras.

É muito comum as pessoas terem uma mentalidade que é a mentalidade do “já que”: já que eu vou vômer algo que está fora da minha rotina à noite, vou sair da minha dieta e, então, já começar desde a manhã. Aí a pessoa acorda já comendo vários alimentos fora da rotina. Não tem necessidade. A gente vai encontrar um equilíbrio”.

4 – SONO

“Uma coisa que é muito importante e que tem uma relação direta com as nossas escolhas alimentares, mas que as pessoas esquecem, é o sono. Minha quarta dica é dormir bem.

Enquanto nós dormimos, vários processos são importantes para o nosso organismo. Como, por exemplo, a renovação celular, o trabalho do fígado sendo feito de maneira adequada, a eliminação de substâncias que não devem ser absorvidas e o ciclo de vários hormônios.

Por isso, é bem importante a gente manter a qualidade do sono e as horas necessárias diárias de sono porque uma noite mal dormida tem consequência na nossa escolha alimentar. Ficamos mais ansiosos e mais estressados pela falta do sono, pela privação do sono e, assim, acabamos descontando as nossas emoções na alimentação”.

5 – EXERCÍCIOS

“Não abandone a rotina de exercícios. Tente mantê-la. Atividade física é muito importante nessa época. O exercício ajuda no equilíbrio corporal. Mesmo que não seja possível se exercitar todos os dias como acontece durante outros períodos do ano e também não consiga fazer necessariamente uma hora por dia, vá e pratique o esporte ou atividade física pelo tempo que você tiver disponível”.

6 – ÁGUA

“A sexta dica vale tanto para os pré quanto para os pós-excessos: beber água. Além de ajudar a desinchar nosso corpo, ingerir bastante água também auxilia nas funções corporais básicas, como, por exemplo, a digestão, que acaba sendo mais complexa para alimentos que são ricos em carboidratos e açúcar.

Além disso, a água é essencial para o bom funcionamento do intestino. Ele merece muita atenção nesse período porque o intestino e o sistema digestório podem ficar sobrecarregados porque a gente consome gordura e comida industrializada em excesso. Sem água não acontece nenhuma reação química no nosso corpo. É muito importante que a gente mantenha esse consumo adequado”.

7 – CUIDADO COM O ÁLCOOL

“O álcool libera muitos fatores inflamatórios no nosso organismo. E hoje nós sabemos que vários problemas de saúde estão ligados a essas inflamações.

A bebida alcoólica diminui a nossa queima de gordura, a formação, o ganho de massa magra e pode influenciar em problemas intestinais e de pele como a acne e a rosácea. É muito comum aparecer agora nessa época de final de ano por conta do calor do verão. Suamos e transpiramos mais. Com isso, o risco de a saúde da nossa pele ficar comprometida é maior”.

8 – ALIMENTOS DIURÉTICOS

“Invista em alimentos que são diuréticos. É a minha oitava dica. Costuma aparecer mais nessa época de final de ano o excesso de sódio nas comidas industrializadas. Portanto, nos temperos que são utilizados na preparação do chester ou até mesmo que já estão intrínsecos em um tender. Essas preparações podem causar uma maior retenção de líquido e inchaço corporal.

Diante disso, é interessante a gente adicionar nesse período à nossa dieta chás e sucos diuréticos que vão auxiliar o nosso corpo a melhorar essas questões relacionadas à retenção hídrica. Uma dica é o chá de cavalinha, do qual eu gosto muito. Ele é ótimo para melhorar a retenção de líquido.  Desta forma, é importante ficar alerta: gestantes não devem consumir chás sem orientação do profissional médico ou nutricionista que a acompanhe”.

9 – DE OLHO NO INTESTINO

“Já que a gente falou de intestino, vou finalizar pra gente ficar de olho no nosso intestino e no nosso trato digestório. Nosso intestino não foi feito pra digerir quantidades excessivas de açúcar. Quando exageramos no consumo de doces e de carboidratos, ele acaba sofrendo.

A ingestão em grande quantidade prejudica a microbiota intestinal e pode acabar destruindo as bactérias que fazem parte dela e que auxiliam no trato digestório. Quando a gente tem mais bactérias ruins, que a gente chama de grã negativas, do que boas – as grãs grandes positivas – nós começamos a nos sentir mais estufados, a ter mais gases em uma digestão mais lenta.

Para a gente contornar essa situação, além de maneirar no carboidrato, é preciso também ingerir fibras e beber bastante água”.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.