Mobilidade

Novo anel viário vai agilizar acesso ao porto

Obra foi inaugurada na quarta-feira (1º); investimento foi de R$ 209,6 milhões

02 de outubro de 2014 - 10:15

Da Redação

Compartilhe

Foi inaugurado na manhã de quarta-feira (1º), no Km 55 da Rodovia Anchieta, em Cubatão, o Anel Viário Luiz Antônio Veiga Mesquita. A obra integra o pacote de intervenções da Secretaria de Logística e Transportes, com o objetivo de reduzir os congestionamentos na chegada à Baixada Santista, principalmente no polo industrial de Cubatão e no Porto de Santos.

Com um investimento de R$ 209,6 milhões e realizado pela concessionária Ecovias, o Anel Viário de Cubatão remodelou totalmente o antigo trevo, com a implantação de um novo anel que interliga as rodovias Anchieta, Cônego Domênico Rangoni, Imigrantes e Padre Manoel da Nóbrega. Formado por seis viadutos e com extensão de 2,8 quilômetros, permite que os movimentos entre acessos e retornos ocorram de forma ordenada, sem qualquer interferência de um sobre o outro, como ocorria na antiga estrutura.

A obra inclui, ainda, uma faixa operacional entre o km 271,4 e km 273,7, na pista oeste (sentido Peruíbe) da Padre Manoel da Nóbrega. Passam pelo trecho 100 mil veículos por dia, em média. “Essa obra é fruto de uma luta coletiva dos municípios e do Governo do Estado. A intervenção irá melhorar muito a vida dos caminhoneiros que chegam em Santos, mas, principalmente, a das pessoas que vivem aqui e sabem das dificuldades encontradas no viário todos os dias”, comentou o prefeito Paulo Alexandre Barbosa, presente na solenidade de entrega da obra.

Terceira Faixa
A Secretaria de Logística e Transporte do Estado ainda entregou a terceira faixa da Rodovia Cônego Domênico Rangoni, entre os km 262 e o km 270, na região do Polo Industrial de Cubatão. Com um investimento de R$ 183 milhões, tem 16 quilômetros de extensão, sendo oito quilômetros por sentido, e amplia em 50% a capacidade de tráfego no segmento. O trecho entre o km 262,7 e o km 268,2, no sentido Cubatão/Guarujá, havia sido entregue em junho pelo governador Geraldo Alckmin.

“O Anel Viário é uma obra muito importante para um local em que o trevo já não atendia às necessidades da região, pois era uma obra da década de 1940 e causava um grande problema de fluxo. Era necessária uma obra com maior estrutura, melhorando o acesso ao Polo de Cubatão e ao Porto de Santos”, Karla Bertocco Trindade, diretora-geral Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

“O anel é um complexo de seis viadutos entre a Anchieta e a Cônego Domênico Rangoni, com um investimento dos mais importantes para o estado e para o país, pois facilitará o acesso ao porto e à Cubatão. Caminhões que chegam à região perceberão essa diferença. Acreditamos que os congestionamentos de um passado recente não acontecerão mais”, Clodoaldo Pelissioni, secretário de Logística e Transportes do Estado.

O nome do novo Anel Viário de Cubatão é uma homenagem ao engenheiro Luiz Antônio Veiqa Mesquita, falecido em 2012. Nascido em Santos, atuou na Petroquímica, IAP e Ultrafértil, sempre em posições de direção ou vice-presidência. No período em que atuou, foi pioneiro na industrialização do país na área de fertilizantes. Na Baixada Santista, liderou a campanha para a construção da ligação entre a Piaçaguera com a Via Anchieta.

As obras
Investimentos: R$ 392,6 milhões (R$ 209,6 milhões no Anel Viário de Cubatão e R$ 183 milhões na nova faixa da Rodovia Cônego Domênico Rangoni);

Benefícios:
– Diminuição do tempo na estrada;

– Diminuição da poluição gerada pelos veículos;

– Aumento da capacidade de tráfego;

– Redução dos congestionamentos e dos acidentes;

– Aumento do conforto dos usuários;

– Melhoria do acesso às empresas do Polo de Cubatão e ao Porto de Santos.

LEIA TAMBÉM: