Meio Ambiente
Luiz Nascimento

Jornalista e professor universitário

Esforço global pela sustentabilidade

Como os recursos naturais não são renováveis a discussão sobre o tema é fundamental em todas as esferas

21 de março de 2014 - 10:56

Compartilhe

Vivemos em um Planeta em que a comunidade científica e as pessoas de bom senso discutem o tema da Sustentabilidade.  Nossos recursos naturais não são renováveis e, mesmo assim, a ganância faz com que alguns homens não tenham olhos para a destruição que estão causando. Diante do quadro desolador em que se encontra a Terra, até a Santa Sé, por intermédio de seu diretor de Comunicação, padre Federico Lombardi, em declaração à Rádio Vaticano, disse: “O papa Francisco começou a escrever um documento sobre Ecologia e Meio Ambiente”.

A intenção é fazer uma encíclica, ou carta circular, a ser dirigida a todos os bispos do mundo. Lombardi afirmou ainda que:o papa vem mostrando preocupação com a questão ambiental em outros momentos. Ao receber o presidente frânces, François Hollande, um dos temas discutidos foi a preocupação e os cuidados com o meio ambiente. Isto porque a próxima conferência do clima, em 2015, será na França. Um dos membros da delegação que acompanhou Hollande, o ecologista Nicolas Hulot,  mostrou ao pontífice toda a preocupação com a questão ambiental.

Energia eólica é alternativa para um Planeta Sustentável. Crédito: Divulgação

Energia eólica é alternativa para um Planeta Sustentável

François Hollande enfrenta manifestações antinucleares de milhares de pessoas de seu país, da Suíça e da Alemanha, exigindo o fechamento da central nuclear francesa de Fessenheim, a mais antiga da França. O país conta com 19 centrais nucleares em atividade, e já foi anunciado que Fessenheim, está previsto para encerrar suas atividades em 2016. Os protestos também acontecem para lembrar o terceiro aniversário da catástrofe de Fukushima, no Japão.

Discussão internacional avança

Além das manifestações pontuais, prosseguem os eventos organizados para tratar do assunto em nível internacional. Na VI Cúpula Mundial de Energia do Futuro, realizada em Abu Dabiteve, houve a participação 172 países. O objetivo foi analisar o papel da energia no desenvolvimento sustentável. Um dos momentos mais importantes do evento foi a participação dos presidentes de Serra Leoa, Senegal e Etiópia, que mostraram o potencial da África, um continente de 800 milhões de habitantes, para dar impulso às novas fontes de energia, incluindo a solar, eólica e hidroelétrica, como metas de desenvolvimento.

Ao mesmo tempo, aconteceu em Abu Dabi a Cúpula Internacional da Água, com a participação de aproximadamente 50 países, para discutir a dessalinização nas regiões áridas e as melhores maneiras da reciclagem de água, assim como o melhoramento na produção de água potável.

O principal objetivo desse tipo encontro é o de procurar soluções para a escassez de água no planeta, já que, se isso acontecer, será o fim do mundo. A Cúpula Mundial de Energia do Futuro e a Cúpula Internacional da Água reúnem os três desafios no esforço pela sustentabilidade: suprir a necessidade de energia, a escassez de água e a eliminação de dejetos, informaram seus organizadores à mídia internacional.

A América Latina não está fora dessa discussão.  A presidenta Dilma Roussef, em encontro com o ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, discutiu a possibilidade de os países latinos formarem um fundo para financiar o desenvolvimento de energias alternativas. Participou dessa reunião o ministro Fernando Pimentel, do Desenvolvimento, Indústria e comércio Exterior do Brasil. Segundo ele, a conversa foi só sobre fontes de energia alternativas.  Este assunto já havia sido abordado na cerimônia inaugural do primeiro encontro regional para a América Latina, por iniciativa da Global Clinton Initiative (CGI), entidade fundada por Clinton.