Após 10 anos, Museu do Escravo será reaberto no dia 24 | Boqnews
Foto: Divulgação

São Vicente

15 DE JANEIRO DE 2015

Após 10 anos, Museu do Escravo será reaberto no dia 24

Abertura será em comemoração ao 483º aniversário de São Vicente

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Fechado por uma década, o Museu do Escravo de Geraldo Albertini já tem data para voltar a receber visitas do público. No dia 24 de janeiro, às 10 horas, ocorrerá a solenidade de reabertura do espaço em comemoração ao 483º aniversário de São Vicente. A casa está localizada no Parque Ecológico Voturuá (Rua Dona Anita Costa, s/nº, Vila Voturuá). A cerimônia contará com o prefeito Luis Claudio Bili, autoridades do Poder Executivo e Legislativo, além de representantes dos movimentos de preservação da cultura negra.

O espaço receberá um novo nome, atendendo as solicitações da comunidade e entidades culturais representantes do segmento. Passará a se chamar Casa da Cultura Afro-Brasileira – Memorial ao Escravizado. “Essa é uma reconquista dos movimentos sociais e de entidades artísticas e religiosas de matrizes africanas, porque a partir de agora terão um ponto para centralizar atividades de reafirmação da identidade afro-brasileira”, detalha o secretário da Cultura, Amauri Alves.

A Secult será a responsável por gerir a casa com apoio de diversas entidades para realizar pesquisas, apresentações artísticas e demais ações de promoção à igualdade racial. Na cerimônia, além da exposição permanente do escultor Geraldo Albertini (1933-1999) com 143 peças, sendo 125 em argila e 18 em madeira, haverá poesias, samba, culto de matrizes africanas e a abertura da mostra de artes plásticas Africanidades, com obras de 12 artistas vicentinos.

Reforma da Casa
Em funcionamento entre 1976 até 2005, quando foi fechado por falta de manutenção, os problemas se agravaram causando com o passar dos anos desmoronamento de telhado e paredes e perda do acervo principal. Em outubro de 2012, interessados da sociedade civil conseguiram que fosse realizado o tombamento do patrimônio, impedindo sua demolição. Em março de 2014 os trabalhos de recuperação foram iniciados com a Secult.

Após reuniões com a comunidade, o projeto de recuperação física foi realizado pela Codesavi enquanto as voluntárias Deise Domingues Gianinni e Nora Valter trabalharam na recuperação do acervo. A reforma começou em 2014 com recurso do Departamento de Apoio e Desenvolvimento das Estâncias (Dade), do Governo do Estado de São Paulo no valor de R$ 300 mil. A obra foi gerenciada pela Secretaria de Obras.

Casa da Cultura Afro-Brasileira
A Casa da Cultura Afro-Brasileira está situada no Parque Ecológico Voturuá (Rua Dona Anita Costa, s/nº, Vila Voturuá) e funcionará de terça a domingo, das 10 às 17 horas. A visitação é gratuita

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.