Vida+

Frio aumenta incidência de doenças respiratórias

Conheça a diferença entre rinite, bronquite e outras doenças sufixo “ite”

30 de abril de 2015 - 19:56

Rodrigo Bertolino

Compartilhe

Os sintomas dessas patologias muitas vezes se assemelham e geram dúvidas nos pacientes.

Os sintomas dessas patologias muitas vezes se assemelham e geram dúvidas nos pacientes.

O clima esfria e, a partir disso, aumenta o número de diversas doenças respiratórias. Rinite, Bronquite, Sinusite são as mais comuns e que afligem milhões de pessoas. Os sintomas dessas patologias muitas vezes se assemelham e geram dúvidas nos pacientes.

O sufixo “ite” signfica um processo inflamatório. O que diferencia essas doenças é a região do corpo onde cada uma afeta. A rinite ataca as mucosas que revestem as cavidades do crânio e ocasiona o entupimento nasal. A pessoa espirra seguidamente e o nariz apresenta um volume de coriza maior que o normal.

Para tratar ou diminuir os efeitos da rinite, o portador dessa doença tem que manter os ambientes em que frequenta sempre limpos e arejados. Isso faz com que a incidência de ácaros e poeira diminua. Medicamentos antialérgicos e vacinas também podem ser obtidos por meio de uma consulta médica.

O clínico geral Marcos Caseiro comenta que o uso de descongestionantes nasais para a pessoa que sofre de rinite é um erro. “É muito comum o indivíduo usar esse tipo de medicamento, mas isso não se deve fazer. Melhora em um primeiro momento, mas irrita a mucosa e muitos deles até viciam. É um efeito transitório”.

A bronquite faz com que os brônquios sejam afetados. Eles ficam inflamados e cheios de secreção. A doença pode ser aguda ou crônica, o que difere ambas situações é o tempo das crises.

Na aguda, a duração de uma complicação dura em torno de duas semanas. Já na crônica, o paciente fica refém de constantes crises e os sintomas se agravam dependendo do dia ou do contato com poluentes que desencadeiam a doença. A tosse frequente é outra característica da bronquite.

Cigarro
O cigarro é o principal responsável por agravar o estado de pessoas com bronquite. Para amenizar os sintomas, é necessário tomar muita água, uso de vaporizadores e medicamentos. Evitar a permanência em lugares fechados por muito tempo é outro ponto fundamental para as crises diminuírem.

A sinusite inflama os seios da face. A forte dor de cabeça, aliada ao entupimento nasal são os sintomas mais evidentes da doença. Em casos mais graves, a tosse é frequente. Os sintomas dessa patologia pioram quando a pessoa se deita, pois isso é comum que a secreção no nariz aumente e a sensação de pressão na cabeça fique mais forte.

As recomendações para melhorar a indisposição são semelhantes com as de Rinite e Bronquite. Deve-se evitar ar-condicionado e caso a crise seja intensa, uma inalação ajuda a amenizar os sintomas.
Caseiro afirma que apesar dos sintomas serem parecidos, é importante o paciente ficar atento com as peculiaridades de cada doença. Ir ao médico o quanto antes para ser diagnosticado o quadro é a melhor alternativa. Evitar tapetes, cortinas e almofadas, trocar periodicamente a roupa de cama e uma constante limpeza na casa são outras dicas que o médico orienta para diminuir a quantidade de ácaros no ambiente.

No entanto, o clínico alerta para não confundir essas doenças respiratórias com outras frequentes do inverno, como gripe e resfriado. “O pessoal faz uma confusão geral. A gripe é uma doença grave, o indivíduo fica mal, não vai trabalhar. O resfriado é mais brando, com sintomas congestivos nasais altos”.

LEIA TAMBÉM: