Segunda dose

Cidades aguardam novo lote de vacinas para atender a população

Praia Grande está com a vacinação interrompida desde a última sexta (30) e aguarda novo lote para a próxima quinta (6).

03 de maio de 2021 - 14:08

Da Redação

Compartilhe

Cidades paulistas enfrentam dificuldades para garantir a segunda dose da Corovanac para a população.

Conforme levantamento divulgado pela Rádio Bandeirantes, há paralisação da vacinação em várias cidades, como Caçapava, Vinhedo, Morungaba e também municípios do litoral sul.

Em Peruíbe, a cidade tem garantida a segunda dose da Corovanac, mas reconhece o atraso para a população de 64 anos, pois há o risco de desabastecimento, caso seja antecipada para esta idade.

Em Itanhaém, faltam mil doses para atender a população dentro da faixa etária prevista.

As cidades não têm previsão de quando receberão novo lote de vacinas.

Por sua vez, Praia Grande está com a vacinação interrompida desde a última sexta (30) e aguarda novo lote para a próxima quinta (6).

Em nota, a Prefeitura de Praia Grande solicitou ao Estado, pelo menos, 1.200 doses da vacina da Coronavac para o atendimento da segunda dose de pessoas que já foram contempladas com a primeira dose.

Assim, a estimativa usada para envio das vacinas foi a do censo do IBGE realizado em 2010, onde a população de Praia Grande era de 262.051 habitantes, sendo que a cidade tem mais de 330 mil.

Além dos idosos, outros grupos estratégicos para vacinação também apresentaram defasagem na estimativa, como trabalhadores da saúde e da educação, totalizando uma defasagem de 6.200 doses.

 

Cidades estão com dificuldades para dar continuidade à vacinação

Vacinas

Conforme a prefeitura, o município tem cumprido ‘rigosamente o seu papel na vacinação dos grupos definido pelo Estado, porém está sujeito a disponibilidade da vacina, cuja distribuição é de responsabilidade da Secretaria de Estado da Saúde, Centro de Vigilância Epidemiológica e Centro de Controle de Doenças’.

Com base na nota, Praia Grande solicita ainda que sejam observadas possíveis desigualdades na distribuição das doses entre os municípios da Baixada Santista.

Por sua vez, a prefeitura de Cubatão informa que não há atrasos na aplicação de vacinas nem houve interrupção.

Estão sendo vacinados – primeira dose – a partir de 63 anos.

E a segunda dose, a partir dos 69 anos.

 

Butantan

Por sua vez, o Instituto Butantan entregou na sexta ao Ministério da Saúde mais 600 mil doses.

E novo lote com 5 milhões de doses será entregue ao longo desta semana.

LEIA TAMBÉM: