Conheça três mitos sobre a introdução alimentar | Boqnews

Alimentação

13 DE OUTUBRO DE 2020

Conheça três mitos sobre a introdução alimentar

Essa é uma fase importante na vida do bebê que precisa de informação para que eles desenvolvam boa relação com a comida

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Mal acaba uma fase e já começa outra.

Assim é o primeiro ano de vida de um bebê.

Período intenso e com muitas descobertas que exigem bastante dos pais durante 12 meses.

Um desses momentos é a introdução alimentar, fase em que o bebê começa a ter contato com os alimentos.

Muitas vezes os pais de primeira viagem se sentem inseguros e/ou acabam gerando expectativas sobre a aceitação da criança em relação a apresentação dos alimentos.

Antes de falarmos dos três mitos da introdução alimentar, vale reforçar que cada bebê é único, essa deve ser uma etapa de exploração para o bebê e momento de diversão para toda a família.

Informe-se e evite repetir esses três erros com seu bebê:

 

1. Pode começar introdução alimentar antes dos seis meses

 

Isso vem sendo repetido pelos mais velhos ao longo dos últimos anos e os bebês vinham sendo expostos a introdução alimentar precocemente.

Porém, as informações atuais nos mostram que o momento em que o bebê está pronto para começar a comer é somente após os seis meses.

Especialmente após apresentar os sinais de prontidão.

Essa é a atual recomendação do Ministério da Saúde e da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Até esse período o leite materno oferece tudo que a criança precisa e também previne o surgimento de problemas gastrointestinais e pré-disposição a alergias.

 

2. Quando começar a comer pode largar o complemento

 

Aos seis meses o bebê vai começar a comer, porém, o leite materno ou a fórmula continuam sendo a principal fonte de nutrientes da criança até ela completar um ano.

Durante esses seis meses é imprescindível que o bebê continue mamando o leite como alimento principal.

É nesse momento que muitas mães voltam ao trabalho e a introdução alimentar facilita esse retorno, já que reduz a necessidade de mamadas.

De qualquer forma, mães que amamentam devem ordenhar leite materno e deixar para que o cuidador possa oferecer ao bebê em sua ausência.

Ele pode ser congelado por até 15 dias e esquentado rapidamente em um aquecedor de mamadeira sem perder os nutrientes essenciais.

A mãe deve manter livre demanda enquanto estiver com o filho.

 

A introdução alimentar deve iniciar aos 6 meses, após o bebê apresentar os sinais de prontidão / Autor: life is fantastic / Fonte: Unsplash

 

3. Não pode brincar com a comida

 

O bebê não só pode como deve brincar com os alimentos.

Ele precisa segurar, cheirar, amassar, experimentar e se divertir com a comida.

A introdução alimentar não serve para o bebê aprender a comer rapidamente e sim construir uma boa relação com a comida.

Para que o bebê possa explorar e ter sucesso nessa fase os alimentos jamais devem ser processados, portanto, esqueça o liquidificador, mixer, processador, peneira e use o bom e velho garfo para amassar a comidinha do seu bebê.

Experimente oferecer alguns pedaços maiores na mão do bebê gradativamente, usando os cortes seguros sugeridos pelo método BLW (Baby-Led Weaning, que significa o “desmame guiado pelo bebê”).

Estudos já mostram que uma alimentação balanceada contribui para melhorar a imunidade.

Quer garantir esse benefício para o seu bebê?

Então é importante respeitar as recomendações atualizadas e assim construir uma relação de respeito com os alimentos saudáveis.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.