Qualidade de vida

Whey protein pode reduzir a sarcopenia em idosos

A chamada sarcopenia é caracterizada pela perda de massa muscular que ocorre a partir dos 50 anos. A Whey Protein ajuda a garantir qualidade de vida.

25 de novembro de 2019 - 21:10

Lucas Coppi

Da Redação

Compartilhe

 

Muito popular para os praticantes de atividades físicas em geral, seja para quem deseja otimizar o ganho de massa grama ou está numa dieta de perda de peso, o suplemento de whey isolado está cada vez mais presente nos planos alimentares.

A novidade é que, segundo um estudo publicado no jornal científico Geriatrics & Gerontology International, a suplementação com whey após treinos de resistência é eficaz para a prevenção da sarcopenia em mulheres idosas.

A chamada sarcopenia é caracterizada pela perda de massa muscular que ocorre a partir dos 50 anos.

De acordo com informações da página do Hospital Sírio-Libanês, o termo significa “perda da carne” referindo-se realmente à perda da massa muscular no corpo.

Esse processo faz parte do envelhecimento e contribui para a perda da qualidade de vida durante o envelhecimento.

Dados da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia revelam que cerca de 15% dos brasileiros têm sarcopenia a partir dos 60 anos de idade, chegando a 46% após os 80 anos.

 

 

Estudo

Para chegar à conclusão sobre o whey protein, o estudo contou com a participação 81 mulheres saudáveis no Japão, com idades entre 65 e 80 anos.

Elas foram divididas em três grupos: o primeiro realizou exercícios e usou um suplemento de whey após os treinos.

O segundo grupo realizou somente os exercícios e o terceiro recebeu apenas o suplemento de whey, sem praticar atividades físicas.

Dessa forma, a pesquisa durou 24 semanas, com treinos feitos duas vezes por semana.

A dose do whey foi de 22,3 g, sendo depois ajustada de acordo com o peso de cada participante.

Os estudiosos fizeram a medição da massa muscular das participantes antes e depois desse teste.

Os resultados mostram que o índice de massa muscular aumentou significativamente no grupo que praticou os treinos e usou whey protein.

O mesmo grupo também apresentou melhora no aumento da força e na velocidade da marcha.

 

Idosos que praticam atividades físicas aumentam a qualidade de vida. Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Riscos da perda da força muscular

Portanto, para o nutricionista esportivo Diogo Círico, a perda de força muscular acarreta diversos problemas para pessoas idosas.

“Um bom funcionamento dos músculos é essencial para os movimentos corporais, assim como para manter o equilíbrio. Portanto, o risco de quedas aumenta de forma significativa nas pessoas com mais de 65 anos nos casos em que há inatividade física. Além da perda da massa muscular, os idosos perdem massa óssea, o que pode levar à osteoporose”, explica.

Assim, segundo ele, os problemas se agravam nessa faixa etária.

“Como consequência, uma simples queda pode causar uma fratura e deixar o idoso acamado ou incapacitado. Quanto mais tempo parado, maior a perda da massa muscular”, comenta.

Ainda de acordo com o especialista, o estudo é importante porque mostra que idosos também podem se beneficiar de um suplemento proteico, visando o aumento da força muscular e o ganho de qualidade de vida.

Além disso, Círico também alerta que uma rotina de atividades físicas deve ter início ainda na juventude, para fortalecer os músculos e evitar a perda óssea e muscular, mas também é possível iniciar um programa de fortalecimento muscular na terceira idade.

LEIA TAMBÉM: