Mais de 2,8 mil pessoas deixam trabalho análogo à escravidão | Boqnews
Foto: Superintendência Regional do Trabalho/CE

Direitos Humanos

30 DE NOVEMBRO DE 2023

Mais de 2,8 mil pessoas deixam trabalho análogo à escravidão

Resgate foi feito por fiscais do Ministério do Trabalho neste ano

Por: Agência Brasil

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

Um total de 2.847 trabalhadores foram resgatados entre janeiro e novembro deste ano de trabalho análogo à escravidão no Brasil.

O número parcial de 2023 já é o maior em resgates dos últimos 14 anos e um recorde histórico em toda a série de pagamento de verbas rescisórias.

Assim, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) fiscalizou no período 516 estabelecimentos urbanos e rurais.

Isso, possibilitou o pagamento de mais de R$ 10,8 milhões em verbas salariais e rescisórias aos trabalhadores resgatados.

Dessa forma, o cultivo de café foi o setor com a maior quantidade de resgatados (300).

Enquanto, o setor da cana-de-açúcar, que liderava os dados até junho deste ano, teve 258 resgates.

De acordo com o MTE, o resultado se deve, principalmente, à atuação da fiscalização, que coordena as ações do Grupo Móvel em parceria com a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, o Ministério Público do Trabalho, a Defensoria Pública da União e o Ministério Público Federal.

A Região Sudeste foi a que registrou o maior número de ações e resgates, com 192 estabelecimentos fiscalizados e 1.043 trabalhadores resgatados, seguida do Centro-Oeste, com 103 fiscalizações e 720 resgates.

O Sul teve 475 trabalhadores resgatados e 76 ações realizadas. No Nordeste, teve a realização de 83 ações e 450 resgates e no Norte, 159 resgatados e 62 ações realizadas pelo MTE.

Portanto, entre os estados, os maiores resgates ocorreram estão:

  • Goiás (640)
  • Minas Gerais (571)
  • São Paulo (380)

Assim, Minas teve o maior número de ações realizadas (102).

Confira as notícias do Boqnews no Google News e fique bem informado.

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.