Números

15 DE DEZEMBRO DE 2020

Líder proporcional em mortes por Covid, Santos ganha prêmio por ‘boas práticas’

A despeito da média de mortes pela Covid-19 ser o dobro em relação à média estadual, liderando neste triste ranking, Santos foi premiada pelas ações no combate à doença

Por: Da Redação

array(1) {
  ["tipo"]=>
  int(27)
}

No mesmo dia quando Santos ganhou o prêmio de cidade modelo no combate à pandemia entregue pelo Governo do Estado, 842 santistas já morreram pela doença, conforme dados da Prefeitura. (nesta terça, 15, o número já subira a 850).

O assunto, inclusive, foi destacado pelo prefeito Paulo Alexandre durante balanço realizado na manhã de hoje na Câmara de Santos.

O montante equivale a quase 0,2% da população de Santos que já foi atingida de forma fatal pela doença desde o início de abril, quando a primeira morte foi registrada na Cidade.

Ou seja, até ontem (14), data da entrega do prêmio, em 258 dias foram 842 vítimas fatais na luta contra apenas uma doença: com média diária de três mortes.

Isso representa uma morte a cada 8 horas. Apenas para o coronavírus.

Ontem, os óbitos foram de três mulheres, entre 38 e 83 anos, falecidas no final de semana, e cinco homens, entre 62 e 90 anos, falecidos entre 10 de novembro e 12 de dezembro.

Nesta terça, foram mais 4 mulheres (entre 41 e 91 anos) e 4 homens (entre 31 e 92 anos). Chama a atenção que a idade das vítimas fatais têm diminuído.

Mas os números são ainda maiores.

Afinal, outros 48 óbitos estão em investigação e aguardam resultados.

Não é à toa que a cidade lidera, de forma proporcional, o total de mortes pela Covid-19 em cidades paulistas com mais de 100 mil habitantes, conforme levantamento da Abramet – Associação Brasileira de Medicina de Tráfego.

Aliás, o Estado de São Paulo é o epicentro da doença.  Até ontem, eram 44.050 mortes.

Duas em cada 100 mortes foram em Santos

Ou seja, de cada 100 mortes no Estado de São Paulo pela Covid-19, duas foram entre santistas.

A população de Santos representa cerca de 1% do total de paulistas.

Portanto, nossos indicadores de mortalidade são o dobro em relação à  população.

Alguns fatores ajudam a explicar tais números.

Confira reportagem de dezembro do Boqnews neste link

O médico infectologista Marcos Caseiro explica as razões pelas quais a Cidade tem indicadores tão negativos.

 

 

 

Além disso, esta situação é antiga e só tem se ampliado.

Confira reportagem de outubro do Boqnews neste link

O gráfico abaixo permite entender melhor o tamanho desta tragédia ao comparar os números das maiores cidades paulistas.

 

Dobro da média estadual

Afinal, a média de Santos de mortes é mais que o dobro da média estadual.

São 193,4 mortes para cada grupo de 100 mil habitantes.

Já no Estado de São Paulo, 95,9 por 100 mil habitantes.

Outras cidades da Baixada Santista também estão neste triste ranking: Cubatão (4º), Guarujá (7º) e São Vicente (8º), conforme o levantamento da Abramet.

Das cidades maiores da Baixada Santista, a melhor performance em termos de mortalidade no combate ao Covid-19 ocorre em Praia Grande, cidade que desde o início atua na internação precoce de pacientes do grupo de risco (acima de 60 anos).

Com 92,3 mortes/100 mil habitantes, a cidade tem média menor que a do estado.

 

 

Governador João Doria premiou as cidades que mais se destacaram em diversos setores. Foto: Divulgação/GESP

Sobre os prêmios

O governador João Doria realizou nesta segunda-feira (14), a primeira premiação do Programa Parcerias Municipais, gerido pela Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR).

No total, 21 municípios foram premiados por terem obtido melhores desempenhos dentro de desafios propostos pelo Governo de SP em sete áreas prioritárias.

Outras três cidades foram reconhecidas por boas práticas no enfrentamento da pandemia do coronavírus.

A premiação, no montante total de R$ 5 milhões, será repassada aos municípios por meio de convênios a serem celebrados com a SDR.

“O Governo do Estado de São Paulo é democrático, plural e atende a todos prefeitos e prefeitas, independentemente de partidos, ideologias, tamanho de cidade ou vocação. Temos um Governo municipalista e temos exercido isso de forma clara e objetiva em todos os setores. Esse programa das Parcerias Municipais, eu acalentei antes mesmo de assumirmos o Governo”, destacou Doria.

O Programa Parcerias Municipais foi lançado em agosto de 2019 com objetivo de intensificar a cooperação entre o Estado e os municípios paulistas, de forma a incrementar a execução das políticas públicas localmente, respeitando as peculiaridades, desafios e vocações de cada cidade.

A meta do Governo de SP é investir no desenvolvimento regional mediante ações em áreas essenciais como Saúde, Educação e Segurança Pública.

Desafios

Para isto, o Programa definiu sete desafios prioritários: ampliação do acesso à creche; universalização do acesso à pré-escola; melhoria da qualidade do Ensino Fundamental; redução das taxas de Mortalidade Infantil e Materna; redução dos óbitos prematuros por Doenças Crônicas não transmissíveis (DCNT); fortalecimento das redes de combate à violência sexual e promoção de ambientes menos suscetíveis a roubos.

“Esta iniciativa constitui um belo exemplo de que o caminho para avançarmos nas políticas públicas que beneficiam a nossa população passa pelas parcerias entre Estado e municípios. Deste modo, investimos no progresso das regiões paulistas em áreas cruciais como saúde, educação e segurança pública”, frisou o Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

 

Cidades premiadas

Foram reconhecidos os três municípios com melhores desempenho em cada uma dessas áreas no decorrer do ano de 2020, em um total de 21 premiações.

São eles:
1. Acesso à creche: Cerquilho, Itapira e São José dos Campos;
2. Acesso à pré-escola: Mira Estrela, Bebedouro e Jacareí;
3. Qualidade do Ensino Fundamental: Pirangi, Lins e Salto;
4. Redução da mortalidade infantil e materna: Taguaí, Mairiporã e Itu;
5. Redução de óbitos prematuros por DCNT: Santa Cruz do Rio Pardo, Vinhedo e Tatuí;
6. Fortalecimento do combate à violência sexual: Iguape, Olimpia e Bauru;
7. Ambientes menos suscetíveis a roubos: Santa Fé do Sul, Nova Odessa e Indaiatuba.

 

Na primeira fileira da plateia, o prefeito Paulo Barbosa e o seu sucessor, Rogério Santos, participaram da solenidade. Foto: Divulgação/GESP

Destaques no combate à pandemia

A iniciativa também premiou três municípios que se destacaram no enfrentamento da pandemia da Covid-19.

São eles:

1. São Paulo – Entre as maiores cidades do Estado, é a que apresentou maior disponibilidade de leitos de UTI por 100 mil habitantes.

2. Santos – Com elevada concentração de idosos, possui a maior taxa de recuperação da Covid-19 na população acima de 60 anos e a segunda menor letalidade (total de infectados em relação à população) nesta faixa etária.

No entanto, em mortalidade (total de mortes pela doença), a situação é bem diferente.

O prefeito atual Paulo Alexandre e o eleito, Rogério Santos, participaram da solenidade.

3. Araraquara – Registrou o maior índice de testagem e menor letalidade entre os municípios na faixa de 200 a 300 mil habitantes.

A cidade se destacou no combate à doença, com elevado número de testes PCR, internação precoce, e atuação conjunta entre Poder Público, universidades, hospitais e planos privados da cidade.

Confira entrevista concedida pela secretária de Saúde de Araraquara, Eliana Aparecida Mori, ao Boqnews.com

Ou assista ao vídeo na Boqnews TV.

 

Razões da escolha

O Boqnews contatou a Secretaria de Desenvolvimento Regional para saber as razões da inclusão de Santos neste ranking.

Em nota, a pasta informou que “a cidade de Santos possui uma elevada concentração de idosos onde a proporção de pessoas com 60 anos ou mais é de 22,01%. Com isso, foi o município do Estado que obteve destaque na taxa de casos recuperados da Covid-19 nesta faixa etária com 4,7% e a segunda menor letalidade no mesmo segmento com 13,04%.

Já o município de Praia Grande apresenta uma proporção de pessoas com 60 anos ou mais de 14,90%. Os casos recuperados nesta faixa etária foram de 2,12% e a taxa de letalidade ficou em 17,19%.

Vale ressaltar que os dados informados estão disponíveis no portal da fundação Seade”.

Outras cidades

Municípios vencedores com menos de 50 mil habitantes terão convênios de até R$ 150 mil.

Cidades de 50 mil a 100 mil habitantes, poderão receber até R$ 250 mil.

Por fim, localidades com mais de de 100 mil habitantes, assinarão contratos de até R$ 350 mil.

A entrega dos prêmios marca o fim da primeira fase do Programa, que conta atualmente com a adesão de 563 cidades paulistas, que elaboraram 8.826 planos e realizaram 18.808 ações.

Para a escolha dos premiados foram avaliados itens como evolução do município, engajamento no Programa e execução dos planos de ação.

Prefeitos e representantes dos municípios vencedores estiveram presencialmente no evento, enquanto os demais gestores municipais puderam acompanhar a solenidade virtualmente.

 

Parcerias Municipais em 2021

Para o ano de 2021, a principal meta do programa é apoiar os municípios na retomada das atividades dos planos de ação e adaptação do programa visando o cenário pós-pandemia.

Entre os meses de abril e fevereiro, a SDR realizará um evento de recepção aos novos prefeitos eleitos no estado, revisão e elaboração dos planos de ação, além da pactuação dos resultados.

A segunda premiação do Programa está prevista para ocorrer em novembro.

 

Santos

A prefeitura de Santos destacou as razões do prêmio.

Confira neste link

 

(*) Com informações da Secretaria de Comunicação do Estado

Notícias relacionadas

ENFOQUE JORNAL E EDITORA © TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

desenvolvido por:
Este site usa cookies para personalizar conteúdo e analisar o tráfego do site. Conheça a nossa Política de Cookies.