Saúde

Endoscopia: um exame simples e que salva vidas

Médico Nelson Marfil explica necessidade da realização do exame

13 de outubro de 2019 - 15:26

Da Redação

Compartilhe

A Endoscopia é um tipo de exame que está presente nos principais centros urbanos do Brasil.

Em Santos, não é diferente.

O médico Nelson Marfil, da Clínica Endocentro, é um dos mais respeitados profissionais da área na cidade e na região.

E é ele quem chama a atenção para a necessidade de as pessoas colocarem a Endoscopia no mesmo grau de importância de outros exames, como os laboratoriais e cardiológicos, quando o assunto é prevenção.

“O ideal é fazer uma Endoscopia a partir dos 50 anos de idade. Mas já há estudos de sociedades médicas americanas, afirmando que que o ideal é a partir dos 45 anos. Na verdade, começamos a envelhecer a partir dos 30 anos. É o tal processo de oxidação do organismo. Só que a partir dos 50 surgem lesões que são assintomáticas, como os pólipos, que geralmente são lesões benignas, pequenas verrugas, que aparecem no tubo digestivo, e que são passíveis de tratamento por Endoscopia. É possível, durante o exame, remover esta lesão, prevenindo até mesmo um câncer no futuro”, explica Dr. Marfil.

Este tipo de cultura é que o deveria nortear as pessoas, já que elas procuram fazer a Endoscopia apenas em situações emergenciais.

“Muita gente só se preocupa quando está acometida por um processo repetitivo de azia e queimação. Pacientes com anemia também deveriam buscar a Endoscopia, principalmente quando o médico pede pesquisa de sangue oculto nas fezes e o mesmo dá positivo. Quando há um processo de emagrecimento sem justificativa, sem fazer nenhuma dieta, o problema pode ser de absorção de nutrientes ou até mesmo uma doença mais grave. Podem ser lesões no tubo digestivo, que fazem o paciente perder pequenas quantidades de sangue. E ele não percebe este tipo de problema, que acaba causando a anemia”, revela.

A Endoscopia é importante também na prevenção e no tratamento do câncer.

“Além do diagnóstico, podemos remover o tumor, caso este esteja numa fase bem inicial”, completa.

 

Procedimento e tecnologia

Assim como outras áreas da Medicina, na Endoscopia a tecnologia se faz cada vez mais presente.

E tem ajudado tanto os profissionais da área quanto, e principalmente, os pacientes.

“Aqui, trabalhamos com o que há de mais moderno no mundo. A principal evolução é que os tubos para a realização do exame são mais finos e mais flexíveis, machucam menos a garganta do paciente. Além da qualidade de imagem e vários filtros de luz que melhoram ainda mais a acuidade do procedimento; hoje temos equipamentos com microscópio na ponta, que aumentam a imagem em até 200 vezes, fazemos uma microscopia ao vivo. Lesões que eventualmente escapavam num primeiro exame, hoje são muito mais fáceis de serem detectadas”, garante Nelson Marfil.

Vale ressaltar que a Endoscopia é um procedimento muito rápido. Leva, em média, 10 minutos.

O paciente fica sedado e dorme.

Após o exame ele fica em repouso, monitorizado e sendo assistido pela equipe de enfermagem.

É algo muito simples, muito rápido e que salva cada vez mais vidas.

LEIA TAMBÉM: